Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

sábado, 5 de novembro de 2011

COLETÂNEA AUTRES DIMENSIONS...

COLETÂNEA: O SEU LUGAR SERÁ AQUI, A FIM DE ENTRAR NO SERVIÇO TOTAL À HUMANIDADE - AUTRES DIMENSIONS (COM PODCAST





Questão: a Comunhão de um a Um supõe que não se possa fazer participar dessa Comunhão mais de uma pessoa de nosso ambiente?
Meu Irmão, você perceberá, naquele momento, que o Um é todos os outros.
Que, comungar ao Um é Comungar a Todos, ilustrado pela frase de UM AMIGO: «do Coração do Um ao Coração de Todos».
Vocês perceberão, também, que essa ação de Graça e de Comunhão (efetuada pelo: «Eu sou Um»), é claro, e obviamente, ecoará, instantaneamente, em vocês mesmos, porque vocês perceberão, naquele momento, que o outro, que é considerado como exterior, é Interior.
E vocês perceberão, do mesmo modo, em Consciência, que o conjunto dos mundos apenas pode existir na Consciência e em nenhum outro lugar.
Do um ao Um corresponde do Um a Todos, uma vez que tudo é Um.

Questão: quando o céu rasgar-se e nossos Irmãos galácticos aparecerem, aqueles que tocaram a Graça sairão, imediatamente, da ilusão?
Não, permanecerá a manter sua presença amorosa, na fase final, não mais da Ascensão, mas do estabelecimento da nova Dimensão.
As condições de vida, é claro, e da Consciência, naqueles momentos, não serão mais, jamais, as mesmas, mesmo nessa dimensão que existirá o tempo que o conjunto de chaves Metatrônicas e de ensinamentos e Códigos de Luz Vibral sejam depositados e semeados.
É claro, há numerosas Moradas na casa do Pai.
Esse processo não concerne à totalidade da humanidade e não concerne, tampouco, ao conjunto daqueles que vivem a Graça e a Unidade.
Não agitem seu mental para saber se vocês permanecem, se vocês partem, porque vocês irão, muito exatamente, para onde os leva sua Vibração, mas não para onde os levam seus desejos, e ainda menos para onde os levam suas interrogações e suas respostas obtidas pela razão.
Isso faz parte do Abandono à Luz, nessa fase final.
É assim que se realiza a Passagem da Porta Estreita, que permite passar da Alma ao Espírito e passar da frase do Cristo que diz: «Pai, por que me abandonastes?», à frase do Espírito: «Tudo está consumado».
SRI AUROBINDO (28-10-2011)

"Esta transmutação final (esta transformação final) é importante viver, para todos vocês que me escutam, para todos vocês que irão ler o que eu digo, porque,
da maneira que vocês irão se estabelecer naqueles momentos, com toda certeza, resultará sua qualidade de Doador de Luz, daquele que vai ser capaz de transmitir a Graça, pela Vibração, e de transmitir esta Vibração de Coração a Coração, do Coração do um (Um) ao Coração de todos.
É, também, deste modo, que além da fé a mais intensa, vocês viverão a experiência da Unidade e serão, de qualquer forma, fortalecidos no que vocês vivem de novo".

"É nesta fase final, nesta fase de Comunhão e de Graça que lhes é pedido para estabelecer, que vocês poderão realizar a Comunhão de Coração a Coração, a Comunhão de Consciência a Consciência, a fim de conscientizar a não separatividade, o não distanciamento e o fato de que, realmente, concretamente, e em Consciência, tudo é Um.
Esses mecanismos irão conduzi-los, também, pouco a pouco, a cessar toda vontade de projeção no exterior".

"Porque somente a Vibração na qual vocês estão, poderá experimentar um processo de Fusão com a Luz, ou um processo de distanciamento da Luz.
Da vivência desse processo irá resultar, clara e evidentemente, seu futuro em meio aos Mundos Unificados".



"
É nesse sentido que, durante este período, aqueles que terão realizado o Si, na totalidade, poderão, pela irradiação da Luz (por Efusão de Luz, pelo princípio de Comunicação com a Luz), irradiar e resplandecer esta Graça (aquela do Si, aquela do Ser), sem nada querer, sem nada pedir, simplesmente manifestando a Graça que irá se tornar (e nós o sabemos) cada vez mais contagiosa, permitindo àqueles que estão, ainda, na Passagem da Porta, atravessar a Porta.
Quanto àqueles que não atravessarão a Porta, lembrem-se de que o conjunto da humanidade, no momento coletivo final, será liberado, inteiramente, e verá a Luz".
UM AMIGO (28-10-2011)

"Dito de outra forma, o Si, a Unidade e o Presente, é tornar-se si mesmo esta Luz, mas não utilizar esta Luz para outra coisa que a Luz.
A dificuldade reside, efetivamente, neste nível.
Porque a alma humana é assim feita, e está assim voltada, no Plano Vibratório, polarizada para a encarnação e não para o Espírito.
Dito de outro modo, como CRISTO disse: “seu Reino não é deste mundo”.
MA ANANDA MOYI (27-10-2011)

"A Luz Cristo chegará a um dado momento específico desta época da humanidade, em tempos extremamente curtos em termos terrestres, que lhes cabe não preparar por qualquer antecipação do que quer que seja, mas bem mais por uma atitude interior justa e totalmente Unificada de sua Consciência, fazendo-os aceitar ver e olhar seus próprios limites, seus próprios medos, a fim de se apreender de que vocês não são nem esses limites, nem esses medos e de que a única maneira possível e concebível de transcender isso é aceitar a passagem da Porta Estreita, sua própria Crucificação e dizer, como o Cristo: “Pai, eu entrego meu Espírito em tuas mãos, porque tudo está consumado”.
Naquele momento, sua alma irá se voltar, na totalidade, para a Vibração do Espírito Unitário, a Vibração do Pai ou da Fonte, em vocês.
Naquele momento, vocês irão ascender ao estado da Unidade, em sua maior Graça e em sua maior magnificência.
Tudo ainda não estará terminado, mesmo se tudo está consumado.
Restar-lhes-á tomar um dado caminho, durante certo período extremamente específico, permitindo ao conjunto dos Despertos, onde quer que eles estejam sobre esta Terra, receber o complemento dos códigos Vibratórios que possibilitam gerar a nova Vida, qualquer que seja sua Dimensão de destino (em todo caso, em meio aos Mundos Unificados).
É durante este período que o conjunto dos seus Irmãos e das suas Irmãs, como lhes pediu Maria e como lhes pediu Miguel, terão necessidade do seu Amor, da sua Luz e do seu Serviço.

Vocês não têm que decidir ajudar tal ou tal (onde quer que ele esteja sobre a Terra), mas, bem mais, comungar esta Graça ao redor de vocês, provocar um ímpeto de Graça, por sua simples Presença amorosa, alinhado no Coração em meio à Vibração do Espírito.
Deste modo, vocês irão trabalhar, em sua última tarefa nesta Dimensão que termina, agora, rápido.
Os sinais, como Miguel lhes disse, serão inumeráveis, em seus Céus, mas, da mesma forma, em seus corpos.

O aumento dos Sons do Céu e da Terra, assim como do Som da alma e do Espírito, perceptíveis por muitos de vocês, é doravante o sinal dizendo-lhes para preparar-se para viver o que é para viver, para estabelecer, de maneira coletiva, a nova Consciência.
A preparação é agora, ela não tem utilidade para amanhã ou depois de amanhã.
ANAEL (24-10-2011)

Questão: qual é a diferença entre as expressões «eu agradeço» e «eu rendo graças»?
Render graças é ir além do agradecimento porque, quando vocês rendem graças, vocês rendem graças à Luz e à Unidade.

Vocês podem agradecer a uma pessoa por uma determinada ação: agradecer é uma ação de comunicação.
Render Graças é uma ação de Comunhão porque, quando vocês agradecem, vocês agradecem algo ou alguém que vocês consideram como exterior a vocês mesmos.

Vocês dizem obrigado(a) porque vocês põem uma distância entre vocês e a pessoa ou a situação a que vocês agradecem.
Quando vocês agradecem à Luz, isso quer dizer que vocês consideram, Vibratoriamente, que a Luz vem de outro lugar que não de vocês mesmos.
Quando vocês comungam e rendem Graças, vocês põem fim a toda a distância.
E, portanto, a Graça nada tem a ver com obrigado(a).
Obrigado(a) é um ato exterior.
A Graça é um ato Interior, que os faz passar da comunicação – que é sempre monodirecional – para uma comunhão – que ultrapassa, amplamente a comunicação.

Portanto, render Graças é não agradecer.
Eu diria que é o oposto, mas eu diria que, num caso, é algo de exterior e, em contrapartida, para a Graça, é algo de Interior.

Enquanto vocês estão no agradecimento, vocês estão no exterior de vocês mesmos, porque dissociados do que vocês agradecem.
É, já, muito polido agradecer, mas não é comungar.
Aliás, vocês veem que a maior parte dos intervenientes que vem, agora, nós lhes dizemos, ainda, às vezes, obrigado, mas, frequentemente, nós comungamos com vocês e rendemos Graças por sua Presença, o que corresponde, também, ao que foi dito, diferentemente, é que nós estávamos na orla de sua Dimensão e que, agora, há o mundo em vocês.
Nós aí estamos.
Mas, enquanto vocês estão voltados para o exterior, vocês não podem nos ver no interior, isso é claro.

O cérebro jamais poderá mesmo colocar uma equação nisso.
É impossível, porque não está em relação com o cérebro.
Isso concerne ao Coração, e exclusivamente ao Coração.
E, até o presente, a Cabeça e o Coração, mesmo se eles se reunifiquem, através das Coroas Radiantes, para a maior parte dos seres humanos, como vocês ainda estão presentes nesse mundo encarnado, a Cabeça ainda não está no Coração.

Mas, bom, a Cabeça está quase diretamente cortada, agora, hein? Com a Luz.
Então, agora, vamos evocar a segunda parte do eu tinha a dizer-lhes.

Vocês sabem que, desde o mês de abril, eu repito sem parar que é agora.
Então, é claro, esse agora, vocês o vivem diferentemente.
Ou vocês o vivem com consciência, porque Vibram, ou, para vocês, não é agora, porque nada Vibram.
Mas, quando eu digo é agora, é, também, dentro, mas também, fora, uma vez que a diferença entre dentro e fora é destinada a desaparecer: passa-se, aí também, do obrigado à Graça.
Tudo isso se traduz, como disse Maria, por muitas modificações de suas próprias percepções, mas, também, e nós o esperamos, do que resta de sua cabeça ao nível de concepções.

Portanto, as percepções, as concepções, as vivências Vibratórias da consciência tendem a ser diferentes.
Vocês estão – vocês vão, talvez, constatar, se já não o fizeram – cada vez mais implicados pela Luz e impactados por Ela.
Quando eu digo implicados e impactados, isso quer dizer que vocês tomam consciência, ao seu ritmo, de momento, que o que faziam, anteriormente, de maneira espontânea, natural, automática, com prazer ou com esforço, parece-lhes muito mais distante de vocês.
É como se se estabelecesse – mesmo se ainda não esteja definido claramente em sua consciência – outro tipo de prioridade, e essa nova prioridade concerne, é claro, ao que nós dissemos: quem são vocês?

Nós jamais empregamos uma palavra ao acaso.
Do mesmo modo que «Eu sou Um», que foi pedido por RAMATAN
Do mesmo modo que MARIA pediu-lhes para comungar e viver a Graça.
Tudo isso converge para outros mecanismos de vivência, para outra coisa que não funcionamento comum, digamos, da vida, mesmo nesse mundo.

Então, é claro, isso vai, com mais ou menos felicidade, com o que vocês eram antes.
Para alguns de vocês, isso provoca reajustes que não são mais impulsos da alma, mas que são, verdadeiramente, o que é reajustado pela Luz, como dizia MARIA, batendo à sua porta, em diferentes lugares (em relação, por vezes, a provas que vocês têm na vida ou alegrias) e pergunta-lhes:
o que vocês querem ser?
Onde vocês querem colocar-se?
Onde vocês querem situar-se?
Isso não concerne, é claro, às circunstâncias exteriores de sua vida – ainda que isso possa ser, ainda – mas isso concerne, sobretudo, ao lugar de onde vocês estão Vibrando.
Você é o observador?
Você é o observado?
Você é esse corpo?
Você é o conjunto do Universo?

Há uma mudança, como diria o Arcanjo Anael, de ponto de vista.
Essa mudança de ponto de vista é mais ou menos violenta.
Ela é mais ou menos rápida, mas, incontestavelmente, se vocês tomam o tempo e a honestidade para ver-se, tal como vocês são, hoje, e tal como vocês eram, há ainda um ano, obviamente, vocês são obrigados a constatar que as coisas mudaram.
E, mesmo se as coisas mudaram, no que vocês poderiam chamar «em mal», é apenas uma ilusão, porque a Luz, em sua Inteligência, em seu desvendamento, em sua Revelação total, chama (Ela os chama, Ela bate à Porta), em vocês, para essas mudanças de ponto de vista.
E essas mudanças de ponto de vista, se querem, é o princípio da rã, que está cozinhando com a elevação da temperatura muito, muito, muito suavemente e, depois, um dia, ela não está mais lá, mas não se apercebeu disso.


Mas vocês têm a possibilidade, porque não são uma rã, até prova em contrário, de sair do bocal (ndr: referência é aqui feita à figura, frequentemente evocada por O.M. AÏVANHOV, do macaco que está bloqueado, porque não quer abrir a mão que mantém um punhado de amendoins num frasco, porque abrir a mão, para tirá-la do bocal, obrigá-lo-ia a soltar os amendoins).
Então, até o presente, eu dizia para tirar a mão do bocal.
Mas eu lhes diria, agora: são vocês, inteiros, que precisam sair do bocal.
O que é o bocal?
É o confinamento da personalidade, é o confinamento de tudo o que vocês construíram, como ilusões, como crenças, quaisquer que sejam, porque a Luz vem demonstrar-lhes que, mesmo o que vocês chamam de coisas naturais, resultam apenas de crenças e de nada mais.
Porque a Luz não é uma crença.

A Luz, eu repito, é Quem vocês São, é a Natureza.
E MARIA dizia: «a Natureza» e «a Essência» do que vocês São.

Portanto, é claro, tudo o que é construído em suas ilusões, tudo o que é construído em suas crenças, tudo o que é construído em certezas.
E, quando se lhes fazem perguntas sobre o CRISTO: «você O ouviu?», é exatamente o que isso quer dizer.
Vocês repetem (e nós todos o fizemos, mesmo quando eu era vivo), nós repetimos frases que ouvimos, sem nos colocar, um mínimo segundo, a questão de «onde isso vem?».
Isso vem, simplesmente, do bocal.
O bocal é outro nome do sistema de controle do mental humano.
Mas tudo isso lhes aparece, porque, olhem ao redor de vocês: há seres, pessoas, situações a quem, para viver mais ou menos normalmente nesse mundo, eram obrigados, de algum modo, a aportar uma forma de confiança, ou um contrato de confiança, tácito, digamos.

E vocês vão aperceber-se de que tudo isso é vento.
Porque era construído pelo mental, por contratos, se querem.
Mas o contrato, mesmo se assinado embaixo, não corresponde, jamais, ao Espírito.
E o contrato fecha-os, ainda que vocês tenham a impressão de que o contrato proteja-os.
Tudo o que vocês assinam (e eu não falo do que assinam com uma caneta, eu falo de assinar com sua consciência) nesse mundo tem apenas uma vocação: é a de mantê-los no frasco.

Então, até o presente, se vocês olham para trás, as questões que se tinha eram: «é, de qualquer forma, necessário que eu ganhe minha vida», «é, de qualquer forma, necessário que eu seja responsável por minha família, por meus filhos, por meus pais, se eles estão velhos».
Sim, mas quando o frasco não existe mais, o que é que vocês fazem?
Quando os sistemas, os contratos que os vinculavam (e eu falo de contratos, isso concerne igualmente aos contratos morais, como aos contratos sociais, como aos contratos com o banco), quando esses contratos não existem mais, porque o frasco desaparece, o que é que vocês fazem?

É necessário começar, seriamente, a colocarem-se a questão: o que é que determina suas atitudes?
Será que é a frase que um sábio repetiu?
Será que são os contratos que vocês assinaram com o banco, ou com quem quer que seja sobre a Terra?

Ou será que é o contrato com a Luz?

Como dizia a Fonte: «O Juramento e a Promessa»?
Que vale um contrato em face da Luz Una da Fonte, da Unidade e da Verdade?
É a isso que sua vida vai chamá-los, porque há contratos que não existem na Luz.


Não há frasco na Luz.
Não há limites, não há confinamento.

E o que disse MARIA, há pouco, e o que vocês são chamados a viver neste período, é a conscientização total disso.

Então, é claro, há mais ou menos resistência em relação a esse fim do frasco.
Há os que preferem permanecer na comunicação e dar um grande sorriso, para não ter que revelar o que eles têm no Interior.
Mas como, a despeito de vocês, vocês se tornam Transparentes, mesmo se um de vocês decida permanecer opaco, o outro, se está Transparente, verá além da opacidade que vocês querem manter, uma vez que, na Luz, tudo é Transparente.

Os contratos, há apenas um deles: é a Lei de Um.
Todos os outros contratos estão caducos.
Todos os confinamentos que, no entanto, nesse mundo, pareciam-lhes de altos valores (do que quer que vocês chamem, mesmo os mais nobres, no sentido humano), vão despedaçar-se.

Por exemplo (vou tomar um exemplo muito simples), na vida, vocês têm contratos.
Contratos, eu repito, com o banco, mas, também, com a família, com o cônjuge, com os filhos, porque é assim.
Porque há o que se chamam laços da carne, por exemplo, que vão fazer com que se vá amar, é claro, mais o filho do que o filho do desconhecido ao lado.
Não há muitos pais que sejam capazes de amar a todos os filhos do mesmo modo, não é?

Bem, tudo isso vai despedaçar-se porque, é claro, ao nível da Unidade, isso não existe.
Aliás, mesmo ao nível dessa vida, vocês têm pais e filhos.
Mas vocês sabem que as leis que os unem, hoje, através do que vocês chamam o afetivo e o amor, nas vidas passadas, era totalmente o oposto.

Tudo isso deve despedaçar-se, é a única maneira de liberar-se.
E tudo isso vai, talvez, para vocês, para alguns de vocês, conduzi-los a reposicionar-se, ou seja, soltar os amendoins, mas, também, sair da cabeça do frasco, porque o frasco está vazio, nada há, de modo algum, isso não existe.

Aliás, quando vocês vivem, de vida em vida, vocês estão tão persuadidos de que devem manter relações que, mesmo em alguns movimentos espirituais, falaram-lhes de contrato de almas, de alma irmãs mas isso, isso pertence à matriz.
Isso não existe no Espírito.

O que é que é essa necessidade, do ser humano, de querer, sistematicamente, tudo religar e tudo confinar?
Portanto, o funcionamento do humano, na personalidade, contribui para confiná-los.
E o que chega, como vocês sabem, é a saída da prisão.
Isso quer dizer que todas as leis de confinamento da matriz despedaçam-se e vocês vão reencontrar-se um pouco aturdidos, conforme seus sistemas de crenças, em relação à Verdade.
Porque imaginam que, nessa vida, vocês tenham apostado num contrato (um contrato de almas), porque vocês são pais, porque vocês têm filhos e vocês aportaram todo o amor do mundo para esses filhos, para esses pais, ao cônjuge.

Vocês vão perceber – porque vão percebê-lo – que tudo isso não existe em outro lugar que não em sua cabeça, em outro lugar que não em seu sangue.
Mas isso não existe no Espírito, uma vez que cada Espírito é perfeito, é Livre, está em comunhão e não em relação.

Tudo isso é o que está conscientizando-se em vocês.
E isso irá muito, muito, muito rapidamente.
Isso não vai desenrolar-se durante anos.
Isso vai desenrolar-se no espaço de dias, no espaço de semanas.
É questão, simplesmente, de estar lúcido e consciente desses contratos que os confinam porque, a partir do instante em que vocês mudam de olhar, o contrato desaparece.
Apenas resta o Amor.
Mas não o amor condicionado (porque é sua carne, porque é o cônjuge, porque é aquele com quem vocês dormem): vocês vão, realmente, concretamente, e de modo cada vez mais manifesto (ao menos, nós o esperamos, para a maior parte de vocês), passar do amor pessoal e do amor contratual ao Amor Livre.
É isso a Graça.
Quer dizer que sua comunhão, de Ser a Ser, não será mais condicionada por um contrato: ela será totalmente incondicional, porque inscrita na Verdade do Espírito.
E o Amor, na Verdade do Espírito, não se importa com todos os contratos estabelecidos na matriz.
Todos esses confinamentos são condicionantes e os mantêm na ilusão.
É necessário liberar-se.
E, quando eu digo «é necessário», é necessário poder fazê-lo.
O poder de fazê-lo é apenas o Abandono à Luz.
Mas é similar para tudo o que existe na superfície desta Terra.
E vocês vão, com extrema rapidez, em sua vida, ver como tudo o que faz os contratos do humano, sobre esta Terra, que tudo isso é apenas vento e é construído sobre algo que não existe e que existia apenas pela confiança relativa, pelo poder, pelas regras tácitas que os privavam de sua Liberdade.
Não há outro modo de fazê-los perceber isso, e a Luz sabe, pertinentemente, o que Ela faz.

Já, quando MIGUEL falava de desconstrução, nós podemos, agora, falar de destruição, mas o que é destruído?
É o frasco.
Não é a Consciência, é claro.
E, do modo pelo qual vocês viverem a destruição de seus diversos frascos, vocês encontrarão, de maneira cada vez mais abrupta e verídica, a Liberdade.
Liberdade, mesmo em relação a esse corpo.
Vocês não são esse corpo.
Esse corpo é um Templo no qual se realiza a alquimia, porque sua consciência está dentro.
O que é sagrado não é o Templo, é o que está no Templo.
Mas, hoje, terminou tudo isso.

Vocês devem, como dizia IRMÃO K, liberar-se de todas as crenças, porque elas vão desaparecer.
Todos os contratos que são ligados a essa matriz vão desaparecer, inteiramente, e isso está a caminho, sob seus olhos, no exterior de vocês, em vocês e em todas as relações.
Vocês passam, como eu disse há pouco, da comunicação à Comunhão e, na Comunhão, não pode haver contrato, porque a Lei de Um não se importa com contratos da Ilusão.

Vocês devem preparar-se para viver isso, se tal é sua Vibração (ou, em todo caso, para ser afetado por isso) porque, como vocês querem manter um contrato, se o outro rompe o contrato?
Expliquem-me isso.
Quer seja com seu banco, com o marido ou com quem quer que seja, porque vocês não estão sós.
O outro, também, vive isso.
E, como os contratos desaparecem, inteiramente, vocês não poderão disso escapar.

Aí está, nesse momento mesmo, o que há a viver (aí, agora, não é em seis meses, eu repito): todos os contratos desaparecem.
Vocês deverão habituar-se a viver e a ser Humanos, ou seja, a não mais depender de um contrato que os confina na matriz, ao mesmo tempo permanecendo (como vocês sabem, como foi dito) ainda um pouco de tempo, para aportar a Vibração de seu Coração à humanidade, à totalidade de seus Irmãos, de suas Irmãs e de nossos Irmãos.
É nisso que vocês farão prova do que se chama o Amor e o Serviço à humanidade e à Luz.
Mas é uma Liberação.
É muito importante compreender isso.

Aí estão algumas palavras da «Gazeta da Ascensão», que tentam dar um pouco mais de elementos em relação ao que lhes disse MARIA e que será desenvolvido (como foi dito), de maneira Vibratória (ndr: intervenção de MIGUEL e URIEL, em Vibração, em 10 de novembro de 2011, às 22 horas. Após, intervenção de MIGUEL e URIEL, em interação, em 12 de novembro, às 15 horas.
AÏVANHOV (01-11-2011)


Trechos extraídos das mensagens do site
http://www.autresdimensions.com
Seleção e Edição: Minha Mestria

http://minhamestria.blogspot.com
"Porque (como várias Irmãs e Anciãos lhes disseram) seu papel é aqui, durante esta fase particular da história da humanidade que vai ver o estabelecimento dos últimos Códigos da Luz Metatrônica, durante certo período de tempo.
Este período de tempo, muito específico, será indicado pela Abertura do Céu.
Restarão, naquele momento, alguns meses para viver, às vezes no êxtase e às vezes sobre este mundo.
Porque seu lugar será aqui, a fim de entrar, definitivamente, no serviço total à humanidade e favorecer, de algum modo, a Graça e a Comunhão, para o conjunto desta Terra.


Não busquem, no entanto, uma função, uma atribuição, um lugar, ou o que quer que seja, porque tudo isso irá lhes aparecer, de maneira extremamente clara, sem buscá-lo, no momento oportuno.
O que quer dizer que este não é o momento de decidir ou de saber o que vocês irão fazer, naquele momento, porque a Luz irá predizê-lo para vocês.
E isso irá se realizar, eu diria, em Comunhão com o conjunto das Consciências Livres, com o conjunto dos Anciãos, das Estrelas, dos Arcanjos e das diferentes frotas Intergalácticas Unificadas, quaisquer que sejam suas Dimensões.
Tudo isso, vocês podem imaginar, é objeto de intensos preparativos que vocês vivem, por outro lado, em vocês, de diferentes maneiras.
A Luz, como vocês sabem, por sua Inteligência, antes mesmo de fazê-los viver Comunhões de êxtase, vai, de algum modo, fazer a limpeza do que são, eu diria, obstáculos à perfeita permeabilidade à Luz, qualquer que seja o estado de adiantamento de suas Coroas e do despertar do seu Fogo do Coração.
Tudo está preparado, nesse momento, e desde um ano.
Isso lhes foi anunciado e dito, de diferentes maneiras, referente, também, à Liberação do Sol, à Liberação do Núcleo da Terra e, agora, do seu manto, mas, também, da Liberação de seus Céus.
Tudo isso concorre para o estabelecimento de um plano onde tudo está perfeitamente orquestrado e minuciosamente orquestrado.
Mesmo se as circunstâncias, aparentes, exteriores, referentes à sociedade humana, podem parecer às vezes ao inverso, totalmente, do que são, vocês não têm que se preocupar com isso".


“Portanto, a partir do momento, se o podemos dizer, em que este estado estiver instalado, de maneira estabilizada e quase permanente (ou seja, no momento em que vocês irão viver a Consciência da Unidade em quase totalidade, que vocês tenham acesso ao seu Estado de Ser ou não, à dissolução ou não), os estados Vibratórios e os estados da Consciência que estão ligados ao Ser irão se tornar suficientemente intensos e perceptíveis para permitir-lhes realizar o que foi chamado de
‘serviço à humanidade’.
Não coloquem questões em relação a isso.
Obviamente, é-lhes preciso, também, respeitar seu próprio calendário Interno, seu próprio relógio Interno.
Quando a Luz chamar por vocês, respondam ali, qualquer que seja o momento, o que quer que vocês façam.
Isso, também, foi anunciado.
Isso é extremamente importante, porque esses momentos são, para vocês, a oportunidade a mais importante para aproximá-los do êxtase”.

"Não será a Luz que irá romper o que quer que seja, em vocês, mas, sim, vocês mesmos (pela Inteligência da Luz que irá se tornar a sua) que irão estabelecer as novas regras da sua Consciência, da sua vida,
do seu sentido de serviço, para a humanidade, no período que se abre".
HILDEGARDE DE BINGEN (30-10-2011)

"Aí está, nesse momento mesmo, o que há a viver (aí, agora, não é em seis meses, eu repito): todos os contratos desaparecem.
Vocês deverão habituar-se a viver e a ser Humanos, ou seja, a não mais depender de um contrato que os confina na matriz, ao mesmo tempo permanecendo (como vocês sabem, como foi dito) ainda um pouco de tempo, para aportar a Vibração de seu Coração à humanidade, à totalidade de seus Irmãos, de suas Irmãs e de nossos Irmãos.
É nisso que vocês farão prova do que se chama o Amor e o Serviço à humanidade e à Luz.
Mas é uma Liberação.
É muito importante compreender isso".
AÏVANHOV (01-11-2011)

"Quanto melhor vocês acolherem, melhor vocês irão viver a Alegria, e melhor isso irá acontecer (para a Terra, como para o conjunto dos Irmãos e das Irmãs).
Sua função, na encarnação, tornar-se-á, mais do que nunca, tornar-se Transparente à Luz, a fim de que esta, através de vocês, alimente seus Irmãos e suas Irmãs, na Comunhão e na Graça".
MARIA (01-11-2011)

"
O conjunto dos elementos que vocês vivem por antecipação, em relação ao coletivo, tem apenas uma finalidade, é claro, que é, sempre e sempre mais, assentar a Luz, irradiar a Luz, não somente para vocês, já que vocês não são nada se vocês o aceitam, mas se tornar totalmente Transparentes à Luz e deste modo realizar-se, ao melhor, o Amor, no sentido o mais nobre e mais incondicional.
O Serviço deve ser Amor e não um serviço da personalidade que está submissa a ditados, quaisquer que sejam, de convenções (familiares, morais, afetivos ou financeiros)".

"Evidentemente, os momentos que vocês vivem são particulares, perfeitamente descritos nos últimos capítulos do Apocalipse do bem amado João, já que é muito exatamente isso que se vive, agora, sobre esta Terra: a última etapa, aquela que corresponde ao momento em que o conjunto das tormentas e dos selos foi quebrado, permitindo a revelação da Verdade, permitindo o estabelecimento e o retorno de CRISTO, em Consciência, tal como Ele partiu.
Quanto mais vocês forem simples, mais vocês irão aquiescer à Luz e irão aquiescer à vontade de nada compreender, porque não há nada a compreender.
Há simplesmente que Ser.
E o Ser jamais será a menor compreensão, a menor justificativa, o menor medo, e ainda menos a menor interrogação.

Se vocês aceitam esse princípio, vocês irão se aproximar, de maneira tangível, do Fogo do Coração, de maneira tangível, da Alegria eterna.
O Canal Mariano, se isso já não ocorreu, irá se manifestar a vocês por intermédio de uma das Estrelas, que será, de qualquer forma, seu guardião do momento e sua testemunha do momento, preparando o que está para ser anunciado pelo CRISTO, por MARIA e pelo conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Unificados e Livres".

"Nada do que é antigo e ilusório pode persistir quando a Luz levá-los a atravessar, por vocês mesmos, a Porta Estreita, pela terceira vez.



Naquele momento, vocês irão descobrir a Alegria eterna.
Nenhuma manifestação, naquele momento, da personalidade, de suas próprias emoções restantes, ou de suas próprias atividades mentais, ou não importa de qual próximo, pode afetá-los, de qualquer maneira.
Vocês não estão, ainda uma vez, na indiferença, mas vocês estão na Alegria eterna e em sua simples Presença, irradiante de Amor, é uma Comunhão e uma Graça.
Naturalmente, ao redor de vocês, cada vez mais, vocês irão constatar que, quando vocês se estabelecem, de maneira definitiva, neste estado, aqueles que lhes parecem, às vezes, os mais próximos vão apresentar, às vezes, um sentimento de rejeição, pela incompreensão do que vocês estão prestes a se tornar, porque vocês lhes escapam.
Aí também, há que compreender o que vocês estão prestes a viver, não através do intelecto, mas como um Apelo ainda mais intenso para viver a Luz e não para recair na noite escura da alma, para agradar a alguém.
É também nesses momentos e nesta experiência de vida que é a sua, que vocês têm que demonstrar, a vocês mesmos, sua aptidão para viver o CRISTO e não o compromisso daquele que lhes pede o que quer que seja, porque, servir na Luz, não é responder a um pedido do ego, qualquer que seja.
Ser o CRISTO é Irradiar.

É percorrer os passos de CRISTO, é agir sem o querer, é curar sem o querer, é ser a Luz e nada mais".
PHILIPPE DE LYON (30-10-2011

"Elementos muito mais recentes foram-lhes dados (tanto por MARIA como pelo Governador do Intraterra), através de mecanismos muito simples, bem além do conjunto de ensinamentos que nós havíamos comunicado até o presente e que, no entanto, para vocês, foram úteis para aproximar-se dessa Porta Estreita.
Esse processo foi nomeado a Comunhão, a Graça e, também, essa simples frase, dada e repetida, de algum modo, por RAMATAN, chamada e nomeada:
«Eu sou Um» (ndr: ver o livreto
A Comunhão e a Graça, tais como foram apresentadas por MARIA demandou-lhes, de algum modo, voltar a Vibração do Supramental não mais simplesmente na recepção ou na comunicação ou na comunhão coletiva, mas, bem mais, personalizar, se se pode dizê-lo, por sua Atenção, sua Intenção, esse fluxo de Luz para outros Irmãos e Irmãs encarnados.
Sem nada pedir, sem nada impor, mas, simplesmente, polarizando sua Consciência para essa Intenção de Amor, de Graça e de Comunhão.
Esse princípio e esse mecanismo, esses mecanismos foram capazes de favorecer o que vou desenvolver e que é chamado a desenvolver-se cada vez mais: a fusão dos Éteres da Alma, que faz com que a Alma possa, de maneira definitiva, voltar-se para o Espírito e, portanto, realizar a Passagem da Porta Estreita.
Os mecanismos consistem em levar a Intenção para um Irmão e uma Irmã encarnados, sem qualquer projeção de desejo e sem qualquer vontade, simplesmente no estabelecimento de uma Comunhão – consciente, aliás, para aquele que a recebe, ou inconsciente – basta e bastará, cada vez mais, para polarizar a Alma, não mais na matéria, mas no Espírito.
Esse processo vem, literalmente, abrasar a Alma, transformando o fogo por atrito da matéria num fogo elétrico do Espírito, realizado pelo primeiro contato da Luz Branca em sua atmosfera, dando a ver, para alguns, o Sol azul, mas, também, as partículas Adamantinas em seus céus".

"Esse mecanismo final de fusão dos Éteres da Alma para o Espírito corresponde à iluminação a mais total.
É o momento em que todos os marcadores da personalidade desaparecem, inteiramente.
É o momento em que essa experiência os faz viver a Graça, inteiramente, e não mais no impulso ou por fragmento.
E esse mecanismo será tanto mais fácil a realizar e a Conscientizar-se, que vocês circularão a Graça e a Comunhão para seus Irmãos e suas Irmãs, porque é através dessa atitude de Consciência que se realizará o Espírito em vocês.
Assim, portanto, fazendo, como Cristo, suas, as palavras que foram: «o que vocês fazem ao menor de vocês, é a mim que vocês o fazem» e: «amem-se uns aos outros, como eu os amei».
Ele disse isso e cabe a vocês, agora, pôr em prática e verificar, por vocês mesmos, pelos efeitos Vibratórios da própria Consciência, pelo estabelecimento de sua Consciência num novo estado, totalmente Unificado e estabilizado na Unidade.
E, também, pelas modificações do próprio desenrolar de sua vida, que faz com que, cada vez mais, vocês sejam capazes de manifestar a Alegria, a Serenidade, o que nós chamamos, no Oriente, Sat Chit Ananda e penetrar, desse modo, a morada de Paz suprema, chamada Chantinilaya.
É assim, amando e Servindo, tendo buscado o Reino dos Céus em vocês, que vocês poderão resolver nesse princípio de Amor que foi tão desgastado e tão transformado e iludido para o conjunto da humanidade.
O Amor não será, jamais, um conceito.
O Amor não será, jamais, um ideal.
O Amor não será, jamais, uma religião.
Mas o Amor é, efetivamente, o estado do Ser que vive o Ser, inteiramente.
E isso é realizável, efetivamente, apenas se vocês encontraram o Reino dos Céus em vocês e se, depois, irradiam, pela Graça e pela Comunhão, a Consciência que é vivida, por momentos, a fim de estabelecer, não mais por momentos, mas para a eternidade".

"É através dessa Merkabah Interdimensional Coletiva, realizada há mais de um ano, é através desse mecanismo preciso (que lhes é pedido realizar o mais frequentemente possível) de
amar, realmente, seu próximo, como a vocês mesmos (mas não com a cabeça, mas, efetivamente, com a Vibração da Graça e da Comunhão), que vocês vão perceber o que vocês devem realizar, ou seja, o estabelecimento, na Alegria eterna, na Felicidade eterna, da Unidade, Realizada, inteiramente.
Não há outra possibilidade.
Nenhum conhecimento, nenhuma prática de um amor intelectual ou idealizado poderá substituir a fusão dos Éteres da Alma que é, precisamente, o impulso que eu qualificaria de final, que lhes permite passar a Porta Estreita (para essa terceira passagem) e estabilizar-se no Coração, de maneira definitiva.
É naquele momento que vocês poderão, também, conscientizar-se de que o conjunto de seus Irmãos e de suas Irmãs encarnados e o conjunto de todos os seus Irmãos e de suas Irmãs, em todas as Dimensões estão, na realidade, apenas no interior de vocês mesmos e em nenhum outro lugar, fazendo-os conscientizar-se, então, naquele momento, da totalidade da ilusão desse mundo, penetrando a totalidade do Si, Realizando o Si e, portanto, Realizando o Ser".

"Lembrem-se, também, que estabelecer essa Comunhão, estabelecer essa Graça e viver essa Graça e essa Comunhão é, também, uma energia transformadora, mesmo entre as forças chamadas de confinamento.
É nesse sentido que vocês devem, aí também, Comungar a elas, porque elas têm necessidade (muito mais do que vocês) e é através dessa Comunhão de Amor, real e Vibral, que esses Seres podem eliminar seu medo total da Luz.
E absolutamente não por palavras, ainda menos por comportamentos ou reações tais como se jogam, atualmente, sobre a Terra, e que vão reforçar-se".

"Tudo isso é chamado a manifestar-se à sua Consciência, nesses tempos que se tornarão cada vez mais agitados e cada vez mais curtos, mas, também, cada vez mais coletivos,
até o momento em que o céu rasgar-se, anunciado por um som, anunciado pelo Anúncio de MARIA e pela resposta do som da Terra que, naquele momento, tornar-se-ão coletivos e gerarão as modificações de seus céus, pelo aparecimento do conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos de Luz (qualquer que seja sua Dimensão) em seus céus rasgados e que não serão mais fechados.
Isso, eu nomeei, há quase um ano: o choque da humanidade.
Ele está, agora, inteiramente realizado, em sua preparação.
Não lhe resta mais que manifestar-se em sua Consciência, coletiva e individual.

Nesses momentos, nesses instantes, quanto mais vocês estiverem na Graça, quanto mais estiveram na Comunhão, quanto mais estiverem no «Eu sou Um», mais terão estabelecido e tecido Luzes de liberdade, entre o conjunto de seus Irmãos, entre o que UM AMIGO chamou:
«do Coração do Um ao Coração de Todos» (e ele lhes dará, aliás, dentro de pouco tempo, as modalidades práticas, se se pode chamá-las assim) (ndr: intervenção de UM AMIGO, do mesmo dia, 28 de outubro de 2011 ), vocês constatarão, por si mesmos que, absolutamente nenhum elemento da destruição da Ilusão, da ruptura do Céu e da Terra, poderá afetá-los, de maneira alguma, porque vocês estarão estabelecidos, de maneira definitiva, em sua Unidade.
Restará mais apenas trabalhar nesses tempos finais, no momento vindo.
 


O que eu anuncio não é o fim de um mundo, mas, efetivamente, o fim de um modo de funcionamento e de uma Dimensão, correspondente a uma fase final que sobrevém após a Ascensão
e correspondente a um período preciso, em número de dias, que conduz alguns de vocês a receber os ensinamentos da Luz Unificada, sob forma Vibral, em alguns espaços e em alguns lugares.
Vocês não têm que se preocupar como isso se produzirá porque, naquele momento, a Inteligência da Luz, o conjunto da Confederação Intergaláctica dos mundos Livres estará à sua cabeceira, em Comunhão, com vocês e entre vocês.
Isso selará, de algum modo, o fim total da ilusão, o fim total de toda dúvida concernente às multidimensões, concernente à Unidade e concernente à ilusão da dualidade".

"A Porta estreita deve ser cruzada sozinho, mas receber o impulso final (além da ação de METATRON) para realizar essa Passagem final, faz-se apenas pela Comunhão de Alma a Alma, de Coração a Coração, de Espírito a Espírito.
É o modo o mais exato e o mais eficaz (que lhes é comunicado) de participar, cada um à sua maneira, desse processo Coletivo final porque, hoje, o que vocês realizaram, a título individual, cada um em seu nível, deve permitir, também, realizar isso a título Coletivo, porque a Terra o aceitou, porque a Terra prepara-se para esses momentos, assim como seus Céus, assim como o conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres e Unificados".