Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

ORAÇÃO Á PRETO VELHO:


ORAÇÃO A PRETO VELHO

Assim seja, Preto-Velho que estás em nosso pensamento e ocupas um lugar de destaque em nosso coração.

Abençoado seja o teu nome no céu, assim como de redenção foi o teu sofrimento na terra. Benditas sejam as tuas agonias físicas, assim como para sempre sejam louvadas as tuas angústias morais. Intercede por nós junto ao Pai Misericordioso, tu que já galgaste as escaladas luminosas da espiritualidade, e comunica-nos essa força inquebrantável que elevou teu espírito aos páramos celestiais, onde te encontras.

Anima-nos a prosseguir, impávidos e serenos, através dos obstáculos da vida e combate, em nós, o desanimo traiçoeiro que, como banzo fatídico, nos aniquila o ser. Ajuda-nos a vencer na vida material, assim como quando em vida tu ajudaste, com teu labor escravo, o teu senhor de engenho.

Ensina-nos a ter, com tua experiência milenar, a calma, a resignação, a compreensão que muito necessitamos e que estejamos sempre contigo, assim como Jesus te tem na Santa Glória. A Ti, bondoso Preto-Velho, oferecemos esta prece, reafirmando a nossa fé, a nossa crença e a nossa esperança na tua força espiritual sempre a serviço do bem. Protege-nos, querido Preto-Velho que tanto sofreste quando de tua passagem pela terra.

Dá-nos coragem que, às vezes, nos falta, para que possamos prosseguir a nossa jornada, e algum dia tenhamos merecimento para receber as graças Divinas.

Assim seja.


POR:    ATTILA NUNES - SACERDOTE

quarta-feira, 30 de maio de 2012

VIDA E ORAÇÃO Á SANTA JOANA D'ARC:


VIDA  E  ORAÇÃO  A  SANTA  JOANA  D'ARC

SANTA JOANA D"ARC

(30 DE MAIO)

Nascida em Domremy, Champagen , França em 1412, morreu em Rouen, no dia 31 de maio de 1431. O pai de Joana, Jaques D’Arc era um fazendeiro e Joana nunca aprendeu a ler ou a escrever. Quando ela estava com 13 ou 14 anos, ela teve a sua primeira experiência mística. Ela ouviu uma voz, acompanhada de uma luz, chamando-a. Ela recebia as visões enquanto cuidava das ovelhas do seu pai. Visões posteriores eram compostas de mais vozes e ela foi capaz de identificar as vozes como sendo de São Miguel, Santa Catarina de Siena e Santa Margarete entre outras. Em 1428 suas mensagens tinham um fim especifico. Era para apresentar-se a Robert Bauricourt, que comandava o exercito do rei, na cidade próxima. Joana convenceu um tio a levá-la, mas Robert riu dela e comentou com o seu pai que ele deveria discipliná-la.



Mas as visões continuaram e secretamente ela deixou sua casa e retornou a Vancoulers. Baudricourt duvidou dela, mas modificou sua posição quando chegaram as noticias de sérias derrotas, nas batalhas de Herrings do lado de fora de Orleans, em fevereiro de 1429, exatamente como Joana havia predito. Ele enviou Joana com uma escolta, para falar com o Rei, ela escolheu viajar disfarçada, com roupas de homem, para sua própria proteção. Em Chinon, o rei Carlos estava disfarçado, mas ela o identificou e, por sinais secretos, eles se comunicaram, tendo ela o convencido a acreditar na origem divina das suas visões e de sua missão.


Ela pediu uma tropa de soldados para ir a Orleans. O seu pedido foi muito questionado na corte e ela foi enviada para ser examinada por um painel de teólogos em Poities. Após um exame de três semanas, o painel aconselhou ao rei Carlos que fizesse uso dos seus serviços. Diz a tradição que um dos membros do painel era um cardeal, que conhecia a verdadeira aparência de São Miguel, muito bem guardado nos arquivos de Roma e quando perguntou a Joana com era São Miguel, ela o descreveu, exatamente, como estava descrito no arquivo secreto em Roma. A ela foi dada a tropa e um estandarte especial feito para ela com a inscrição "Jesus: Maria" e o símbolo da Santíssima Trindade, na qual dois anjos presenteavam a ela uma flor de lis, Joana vestindo uma armadura branca, entrou com sua tropa em Orleans, em 29 de abril. Sua presença revigorou a cidade e em 8 de maio as forças inglesas que cercavam a cidade, foram capturadas.

Ela foi ferida no peito por uma flecha, o que reforçou a sua reputação de guerreira.

Ela começou uma campanha em Loire com o Duque d’ Alençon, eles se tornaram grandes amigos.

A campanha teve grande sucesso, em parte graças ao moral das tropas que se elevou com a presença de Joana, desta forma as tropas britânicas recuaram, retirando-se para Paty e de lá para Troyes. Joana agora tentava junto ao rei fazê-lo aceitar a própria responsabilidade, lutando pela coroação do mesmo, o que conseguiu em 17 de julho de 1429.

A missão de Joana, conforme as suas visões, estava completa.

Daí em diante, devido ao fato que Carlos não forneceu nem suporte, nem sua presença conforme prometido, Joana sofreu varias derrotas. O ataque a Paris falhou e ela foi ferida na coxa. Durante a trégua de inverno, Joana ficou na corte onde ela continuava sendo vista com ceticismo. Quando as hostilidades recomeçaram, ela foi para Compiegne onde os franceses estavam resistindo ao cerco dos Burbundians. A ponte movediça foi fechada muito cedo e Joana com suas tropas ficaram do lado de fora. Ela foi capturada e levada ao Duque de Burgundy em 24 de maio. Ela ficou prisioneira até o fim do outono. O rei Carlos não fez nenhum esforço em libertá-la. Ela havia previsto que o castelo seria entregue aos ingleses e assim aconteceu. Ela foi vendida aos lideres ingleses na negociação.

Os ingleses estavam determinados a ficarem livres do poder de Joana sobre os soldados franceses. Como os ingleses não podiam executá-la por estar em uma guerra, eles forjaram uma maneira de julgá-la como herege. Em 21 de fevereiro de 1431, ela apareceu a um tribunal liderado por Peter Cauchon, bispo de Beauvais, o qual tinha esperança que os ingleses o ajudariam a fazê-lo Arcebispo de Rouen. Ela foi interrogada sobre as vozes, sua fé e sua vestimenta masculina. Um sumário falso e injusto foi feito e suas visões foram consideradas impuras em sua natureza, uma opinião suportada pela Universidade de Paris. O tribunal declarou que caso ela não se retratasse, seria entregue aos seculares como uma herege. Mesmo sob tortura, ela recusou a se retratar. Quando, finalmente, ela foi trazida para uma sentença formal no Cemitério de Santo Ouen, diante de uma enorme multidão, ela retratou-se apenas um pouco e de forma bastante incerta, sendo devolvida à prisão, voltando a vestir as roupas masculinas, que havia concordado em abandonar. Então, ela teve a coragem de declarar que tudo que ela havia dito antes era verdade, que havia recuperado a sua coragem e que Deus havia na verdade a enviado para salvar a França dos ingleses.

Assim em 30 de março de 1431, ela foi levada à praça pública do mercado em Rouen e queimada viva. Joana não tinha completado 20 anos. Suas cinzas foram atiradas no Sena. Em 1456, sua mãe e dois irmãos apelaram para a reabertura do caso, com o que o Papa Calistus III concordou.

O julgamento e o veredicto foram anulados e ela foi canonizada como uma santa virgem e mártir. Ela era chamada La Pucelle "a Virgem de Orleans”.

Na arte litúrgica da Igreja, Santa Joana é mostrada como uma garota numa armadura, com uma espada, ou uma lança, às vezes com uma bandeira com as palavras "Jesus: Maria" e às vezes com um capacete.

Nas pinturas mais antigas, ela tinha longos cabelos, caindo nas suas costas, para mostrar que ela era virgem. Às vezes, ela é mostrada incentivando o rei, ou seguida de uma tropa, ou em roupas femininas com uma espada.

Popularmente venerada por séculos, foi finalmente beatificada em 1909 e canonizada em 1920. Foi declarada oficialmente padroeira da França em 1922.

Ela é também conhecida como a Virgem de Loraine.

Comemora-se seu dia em 30 de maio.

ORAÇÃO A SANTA JOANA D’ARC (1)

Deus, nosso Pai, Santa Joana D'Arc foi condenada à morte, vítima de um processo iníquo.

Velai Senhor por todos aqueles, que vítimas da parcialidade e de interesses escusos, são condenados injustamente.

Fazei-lhes, Senhor, justiça e tomai a sua causa.

Abri nossos olhos, nossa mente e nossos corações para que a ninguém julguemos injustamente ou movidos por interesses mesquinhos, escondamos a verdade dos fatos e prejudiquemos nossos semelhantes.

Senhor Deus, vós sois justo e santo.

Ensinai-nos a prática da justiça para que tenhamos parte no vosso reino.

Que Assim Seja.

ORAÇÃO A SANTA JOANA D’ARC (2)

Pai Amado conceda-me a coragem e o espírito de sacrifício de vossa serva Joana D'Arc, a fim de que, pelo seu exemplo e fidelidade, seja eu também um soldado da Causa do Evangelho.

Por Jesus Cristo Nosso Senhor.

Que Assim Seja.

GALERIA DE IMAGENS LINDAS CIGANAS:



















quarta-feira, 23 de maio de 2012

ORAÇÃO CIGANA DE CONSAGRAÇÃO:


 
Peço aos Espíritos Ciganos Trabalhadores de Luz, com sua Força Divina, 
que venham me ajudar.
Peço aos Ciganos que andam pelo mundo de carroça, de cavalo, de
carro e a pé, que tragam energias positivas dos quatro cantos do Mundo para me ajudar. 
Aos Ciganos Velhos e os que ainda estão para nascer, aos que sofrem por amor e aos que são amados, aos trabalhadores astrais, que trazem energias do Sol e da Lua, das Estrelas e do Ar, do Vento e das Estradas, do Fogo Brilhante e da Água, 
que sabem que a Mãe Terra nos Ama.
Peço a Santa Sara Kali,que me imante com os poderes da Santíssima Trindade, com a energia do Egito Antigo.
Eu  agradeço ao Povo Cigano que eu tanto amo e que sei que me amam também, a todos os Espíritos Ciganos que me acompanham, agora unidos pelos laços de Consagração das Forças Astrais e Espirituais que compõem o mundo e com toda a FORÇA  DA RAÇA  DO  POVO CIGANO...

QUE ASSIM  SEJA!
QUE ASSIM SE FAÇA!

SALVE SANTA SARA E TODO O POVO CIGANO:

Saravá aos Ciganos da Umbanda! Salve Santa Sara!

Publicado por Administrador em maio 14, 2012
Os carroções se alinham na noite onde a lua se debruça inteira, para ver os ciganos acenderem as fogueiras. As estrelas parecem que acendem mais luzes, piscando na cadencia dos passos, enquanto a música e canto entoam comemorações à vida.
Quando os ciganos dançam, eles estão se embalando no Universo, rodopiam com suas cores, caleidoscópio de matizes, comungam com a Mãe Terra, com seus pés descalços, enquanto seus corações pulsam nas vibrações dos mundos.
Enquanto uma cigana se dedica, e tece sua magia, ela acalenta os seres, e se torna Una com o Todo, com o Alfa e o Ômega, com o Ying e o Yang, ela compreende o eterno e o átimo, no instante que paira entre o tempo e espaço.
No coração cigano, sempre tocam os violinos, o sol ilumina os campos verdejantes de sua alma e a lua mostra as verdades que procura. Nele também encontram as claridades de tempos remotos, traz sua herança de muitas batalhas ganhas, também do sangue derramado, e a consciência que deve prosseguir incólume em concordância com suas origens.
A verdade para um cigano não está nas convenções vigentes, mas naquilo que entende que o levará à sua integridade moral e espiritual. Seus valores são os da amizade, laços de família, felicidade, retidão, preservação dos princípios e sua palavra é o seu maior tesouro.
Cigano de Aruanda, Cigano que segue nesta banda, segue discreto e invisível, não precisa de ostentação. Para alguns faz ouvir as castanholas, o sapatear e o seu sorriso, faz vilumbrar seu punhal e sua intrepidez. Cigano da Umbanda, seja pelos Orixás para sempre abençoado. Traz sua Arte, sua Luz, sua Bondade, sua Sabedoria, Beleza e Alegria. Segue conosco e mostra as trilhas, para que não nos percamos das caravanas, para que atrás do carreiro sigamos e possamos aprender a ser livres, eternos e inteiros como és.
Salve a Sua Força, Salve à sua Coroa Bendita, Salve Ciganos da Umbanda, sob a égide de Santa Sara, sob suas bênçãos, seu Amor e sua maravilhosa Força!
E livre-nos, Santa Sara, de toda a demanda, todo o erro e toda desavença. Cubra-nos com sua Luz, sua Proteção e Bondade! Que esteja sempre em nossos corações, inesquecível e amada, em todos os momentos!
Opcha!!!
Alex de Oxóssi
Rio Bonito – RJ

SALVE SANTA SARA KALI - 24 DE MAIO:


SANTA  SARA  KALI:


“A Cigana Escrava que venceu os mares com sua fé e virou Santa”.

Conta à lenda que Maria Madalena, Maria Jacobé, Maria Salomé, José de Arimatéia e Trofino, junto com Sara, uma cigana escrava, foram atirados ao mar, numa barca sem remos e sem provisões.

Desesperadas, as três Marias puseram-se a orar e a chorar. Aí então Sara retira o “diklô” (lenço) da cabeça chama por “Kristeskro” (Jesus Cristo) e promete que se todos se salvassem ela seria escrava de Jesus, e jamais andaria com a cabeça descoberta em sinal de respeito. Milagrosamente, a barca sem rumo e à mercê de todas as intempéries, atravessou o oceano e aportou com todos salvos em Petit-Rhône, hoje e tão querida Saintes-Maries-de-La-Mer. Sara cumpriu a promessa até o final dos seus dias.

Sua história e milagres a fizeram Padroeira Universal do Povo Cigano, sendo festejada todos os anos nos dias 24 e 25 de maio.

Deve ter nascido deste gesto de Sara Kali a tradição de toda mulher casada usar um lenço que é a peça mais importante do seu vestuário: a prova disto é que quando se quer oferecer o mais belo presente a uma cigana se diz: “Dalto chucar diklô” (Te darei um bonito lenço). Além de trazer saúde e prosperidade, Sara Kali é cultuada também pelas ciganas por ajuda-las diante da dificuldade de engravidar. Muitas que não conseguiam ter filhos faziam promessas a ela, no sentido que, se concebessem, iriam à cripta da Santa, em Saintes-Maries-de-La-Mer no sul da França, fariam uma noite de vigília e depositariam em seus pés como oferenda um Diklô, o mais bonito que encontrassem. E lá existem centenas de lenços, como provas que muitas ciganas receberam esta graça.



ORAÇÕES PARA SANTA SARA KALI



Santa Sara
Pelas forças das águas
Pelos seus mistérios
Pelas forças da natureza
Nós, filhos do vento,
Das estrelas e da lua cheia
Pedimos a senhora que
Esteja sempre ao nosso lado
Pela estrela de cinco pontas
Pelos cristais
Que hão de brilhar sempre
Como nossas vidas
Que os inimigos nunca nos
Enxerguem como a noite...
Escura sem luar
E sem estrelas.
“Atsara” é o descanso do dia a dia.
Ela é a nossa tenda
Santa Sara me abençoa
Acompanhe-me
Ilumine minha casa
Para que todos
Que bata a minha porta
Possam sempre ter
Uma palavra de amor
E de carinho.
Santa Sara que eu jamais
Seja um ser orgulhoso e sim
Que eu seja sempre humilde.
Proteja-me hoje e sempre.



Tu que és a única Santa Cigana do Mundo.
Tu que sofrestes todas as formas de humilhação e preconceitos.
Tu que fostes amedrontada e jogada ao mar, para que morresses de sede e de fome.
Tu sabes o que é o medo, a fome, a mágoa e a dor no coração; não permita que meus inimigos zombem de mim ou me maltratem.
Ó Santa Sara atenda meu pedido (fazer o pedido).
Que Tu sejas minha advogada perante Deus.
Que Tu me concedas sorte, saúde e que abençoe a minha vida. AMÉM.


ORAÇÃO A SANTA SARA KALI
EM ROMANY

Manglimos Katar Santa Sara Kali Tu Ke San Pervo Icana Romli AnelumiaTu Ke Biladiato Le Gajie Anassogodi Guindiças Tu Ke daradiato Le Gajie, Tai Chudiato Anemaria Thie Meres Bi Paiesco Tai Bocotar Janes So Si e Dar, E Bock, Thai O Duck Ano Ilô Thiena Mekes Murre Dusmaia Thie Açal Mandar Thai Thie Bilavelma Thie Aves Murri Dukata Angral O Dhiel Thie Dhiesma Bar, Sastimôs Thai Thie Blagois Murrô Traio Thie Diel O Dhiel.

Opcha, Opcha minha Santa Sara Kali, mãe de todos os clãs ciganos dessa terra ou do além tumulo. Mãe de todos os ciganos e protetora das carruagens ciganas. Rezo invocando teu poder, minha poderosa Santa Sara Kali, para que abrande meu coração e tire as angústias que depositaram aos meus pés. Santa Sara me ajude! Abra meus caminhos para a fé no teu poder milagroso. Venceste o mal, todas as tempestades e caminhou nas estradas que Jesus Cristo andou. Mãe dos mistérios ciganos que dá força a todos os ciganos no dom da magia, me fortaleça agora, sendo eu cigano ou não cigano. Bondosa Santa Sara, abranda os leões que rugem para me devorar. Santa Sara, afugenta as almas perversas para que não possam me enxergar. Ilumina minha tristeza para a felicidade chegar. Rainha, atravessaste as águas dos rios e do mar e não afundaste e eu invoco teu poder para que eu não afunde no oceano da vida. Santa Sara, sou pecador, triste, sofrido e amargurado. Traga-me força e coragem, como dás ao povo cigano teus protegidos. Mãe, Senhora e Rainha das festas ciganas. Nada se pode fazer em uma tenda cigana sem primeiro invocar teu nome, e eu invoco pelo meu pedido, Santa Sara Kali. Tocam os violinos, caem às moedas, dançam as ciganas de pés descalços em volta da fogueira, vem o cheiro forte dos perfumes ciganos, as palmas batendo, louvando o povo de Santa Sara Kali. Que o povo cigano me traga riquezas, paz, amor e vitória. Agora e sempre louvarei o teu nome Santa Sara Kali e todo povo cigano. Opcha, Opcha, Opcha, Santa Sara Kali!


Sara, Sara, Sara, foste escrava de José de Arimatéia, no mar foste abandonada, te peço (fazer o pedido). Teus milagres no mar sucederam e como Santa te tornastes, a beira do mar chegastes e os ciganos te acolheram. Sara, Rainha, Mãe dos Ciganos que te consagram como protetora e mãe vinda das águas. Sara, mãe dos aflitos, a ti imploro proteção para o meu corpo, luz para que meus olhos enxerguem no escuro, luz para meu espírito e amor para todos meus irmãos. Aos pés da Mãe Santíssima, tu, Sara me colocarás e a todos que me cercam para que possamos vencer as provações terrenas. Sara, Sara, Sara, não sentireis dores nem temores. Espíritos perdidos não me encontrarão e assim como conseguistes o milagre do mar, a todos que me desejam mal, tu, com as águas me fará vencerem (quando a pessoa não tiver bem e querendo resolver algo muito importante, beber três goles de água). Amai-nos Sara, para que eu possa ajudar a todos que me procuram. Ajudados pelos teus poderes serei alegre e compreensivo com todos que me cercam. Corre no céu, corre na terra, corre no mundo e Sara, Sara, Sara, estará sempre a minha frente, sempre atrás, do lado esquerdo, do lado direito. E assim dizemos que somos protegidos por Sara que nos ensinará a caminhar e perdoar. (Reze três ave-marias, sendo a primeira para Santa Sara e a segunda para os ciganos e a terceira para você).

Opcha, minha Santa Sara Kali,
Mãe de todas as tribos ciganas dessa Terra !
Mãe de todos os ciganos e protetora das carruagens ciganas.
Rezo invocando teu poder, minha poderosa Santa Sara Kali,
Santa Sara me ajude.
Abra meus caminhos para a fé no teu poder milagroso.
Venceste o mal, todas as tempestades e caminhou nas estradas que Jesus Cristo andou.
Mãe dos mistérios ciganos que dá força a todos os ciganos no dom da magia,
me fortaleça agora, sendo eu cigano ou não cigano, bondosa.
Santa Sara, abrande os leões que rugem para me devorar.
Santa Sara, afugente as almas perversas para que não possam me enxergar.
Ilumine minha tristeza para a felicidade chegar, Rainha.
Atravessaste as águas dos rios e do mar por cima delas e não afundaste,
eu invoco teu poder para eu não afundar no oceano da vida.
Santa Sara nos ilumine sempre.
SALVE SANTA SARA!!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 17 de maio de 2012

17 DE MAIO, SANCIONADA A LEI QUE DETERMINA 15 DE NOVEMBRO DIA NACIONAL DA UMBANDA- SALVE DEUS E SALVE TODAS AS ENTIDADES DE LUZ!!!



Repassando
 
Comunico a todos(as) Irmãos e irmãs da Religião de Umbanda,
Que foi assinada e publicada hoje 17.5.2012 no DOU
A LEI  FEDERAL nº12.644, DE 16 DE MAIO DE 2012
que  INSTITUI  O  DIA NACIONAL DA  UMBANDA.
 
Saravá Fraterno a todos(as).
 
Milton Alves – Sacerdote de Umbanda
 
 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/Image4.gif
Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos
Senhor(a) usuário(a),
Encaminhamos abaixo o(s) ato(s) disponibilizado(s), nesta data, no sítio da Presidência da República.
16 de maio de 2012 - Edição extra

Lei nº 12.647, de 16.5.2012  - Institui o Dia Nacional de Valorização da Família.
Lei nº 12.646, de 16.5.2012  - Institui o Dia Nacional de Luta dos Acidentados por Fontes Radioativas.
Lei nº 12.645, de 16.5.2012 - Institui o Dia Nacional de Segurança e de Saúde nas Escolas.
Lei nº 12.644, de 16.5.2012 - Institui o Dia Nacional da Umbanda.

17 de maio de 2012

Decreto nº 7.724, de 16.5.2012 - Regulamenta a Lei no 12.527, de 18 de novembro de 2011, que dispõe sobre o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do caput do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição.

Este é um serviço informativo, sem cunho oficial, e não substitui a publicação no Diário Oficial da União.
 
 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Decreto/Image4.gif
Presidência da República
Casa CivilSubchefia para Assuntos Jurídicos

Institui o Dia Nacional da Umbanda.
A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o Fica instituído o Dia Nacional da Umbanda, que será comemorado, anualmente, em 15 de novembro.
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 16 de maio de 2012; 191o da Independência e 124o da República.
DILMA ROUSSEFF
Anna Maria Buarque de Hollanda
Luiza Helena de Bairros
Este texto não substitui o publicado no DOU de 17.5.2012
LEI 12.644/2012 (LEI ORDINÁRIA) 16/05/2012
Ementa:
INSTITUI O DIA NACIONAL DA UMBANDA.
Situação:
NÃO CONSTA REVOGAÇÃO EXPRESSA
Chefe de Governo:
DILMA ROUSSEFF
Origem:
LEGISLATIVO
Fonte:
D.O.U. DE 17/05/2012, P. 1 TEXTO ORIGINAL
Link:
Referenda:
SECRETARIA ESPECIAL DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - SEPPIR; MINISTÉRIO DA CULTURA - MINC

domingo, 13 de maio de 2012

FELIZ DIA DAS MÃES Á TODAS AS MÃES E ESPECIALMENTE Á MINHA MÃE CIGANA



Homenagem para o Dia das Mães 

 Mãe, você é bem aventurada, merece de mim o amor maior que tenho e todas as coisas boas que eu fizer. Sem você, eu nao estaria aqui desfrutando de tantas coisas maravilhosas, é ótimo que você exista mãe. 
E poder viver ao seu lado, só me traz alegrias e certezas de que nunca estou só. 
 Tenho você a me amparar, me proteger e a me dar bons conselhos. 
 Sei que a vida, não é muito fácil, ja sofri, ja me decepcionei, e tudo isso faz parte do nosso aprendizado, mas reconheço que muitas coisas poderiam ter deixado de acontecer, se eu tivesse ouvido seus sábios conselhor de mãe. 
 Gostaria que neste dia tão bonito onde todos os filhos, podem homenagear suas mães eu também pudesse fazer com que a senhora realizasse pelo menos, alguns dos seus sonhos, 
Mas não está ao meu alcance esse desejo, então, o pouco que tenho é o maior amor do mundo sempre renovado e imenso. 
Infinito e eterno. 
 Que todas as bençãos de Deus recaiam sobre a sua cabeça te irradiando uma divina luz te presenteando com muitos anos de vida sempre ao meu lado, para me fazer feliz. 
 Receba-me, como uma dádiva de Deus só você merece tanto amor que trago dentro do peito. 
 Mais uma vez, eu lhe peço que me aceite mesmo com os meus erros, minha impaciência, e as vezes, minha ignorância, pois quero aprender sempre com você, para me tornar, uma nova pessoa. 

 Feliz Dia das Mães, 
para quem muito amo !!! 

sábado, 12 de maio de 2012

13 DE MAIO: SALVE TODOS OS PRETOS E PRETAS VELHAS...


13 de Maio – Homenagem aos Pretos Velhos

Publicado por Carol Walent em maio 12, 2012


Adorei as Almas!!!!

Para falar dos(as) Pretos(as) Velhos(as) é preciso resgatar uma lamentável época da história da nossa colonização: a escravidão dos negros africanos. As grandes Metrópoles (Portugal, Espanha, Inglaterra, França, etc.) subjulgavam suas colônias, fazendo dos negros mercadorias, objetos sem direitos ou alma.
No Brasil os escravos negros chegavam por Recife e Salvador, nos séculos XVI e XVII, e no Rio de Janeiro, no século XVIII. Os primeiros grupos que vieram para essas regiões foram os bantos; cabindos; sudaneses; iorubás; geges; hauçá; minas e malês. A valorização do tráfico negreiro, fonte da riqueza colonial, custou-nos quatro séculos, do XV ao XIX, de exploração escancarada (entre escravizados e mortos 65 a 75 milhões de pessoas). Um contingente que constituiu uma parte considerável da população local.
Desse contexto, é importante perceber como seus cultos eram a forma dos escravos resistiam, simbolicamente, à dominação. A “macumba” era, (e ainda é!) um ritual de liberdade, protesto, reação à opressão. As rezas, batucadas, danças e cantos representavam maneiras de aliviar a asfixia da escravidão.
Estes negros aos poucos conseguiram envelhecer e constituir – mesmo de maneira precária – uma união representativa da língua, do culto aos Orixás e aos antepassados e, tornaram-se, assim, um elemento de referência para os mais novos. Quem refletia os velhos costumes da Mãe África. Assim, eles conseguiam preservar e até modificar, no sincretismo, parte importante de sua cultura e sua religião.
Hoje, pensar na corrente das alma – essa linha tão bendita que, humildemente celebramos no mês de Maio – é o mesmo que pensar nessas milhares de espíritos que desencarnaram, cada qual, em situações bastante adversa, mas que hoje voltaram para a prática da caridade e do aprimoramento moral e espiritual.
Muitos ainda, usando seu linguajar característico, praticando os sagrados rituais do culto, utilizados desde tempos imemoriais, manifestaram-se em indivíduos previamente selecionados de acordo com a sua ascendência (linhagem), costumes, tradições e cultura. A legião de espíritos chamados “pretos-velhos” foi formada no Brasil, como parte integrante e fundamental do Culto aos Orixás.

Formação da Falange dos Pretos(as)-Velhos(as) na Umbanda

Depois de desencarnados, passaram a surgir em lugares adequados, principalmente para se manifestarem. Ao se incorporarem, trazem os Pretos-Velhos os sinais característicos das tribos a que pertenciam. O dia em que a Umbanda homenageia os Pretos-Velhos é 13 de maio, que é a data em que foi assinada a Lei Áurea (libertação dos escravos).
Eles representam a humildade, força de vontade, a resignação, a sabedoria, o amor e a caridade. São um ponto de referência para todos aqueles que necessitam: curam, ensinam, educam pessoas e espíritos sem luz. Não têm raiva ou ódio pelas humilhações, atrocidades e torturas a que foram submetidos no passado.
Com seus cachimbos, fala pausada, tranqüilidade nos gestos, eles escutam e ajudam àqueles que necessitam, independentes de sua cor, idade, sexo e de religião. São extremamente pacientes com os seus filhos e, como poucos, sabem discorrer sobre conceitos como karma e resignação como ninguém
Não se pode dizer que em sua totalidade esses espíritos são diretamente os mesmos Pretos-Velhos da escravidão. Pois, no processo cíclico da reencarnação passaram por muitas vidas anteriores foram: negros escravos, filósofos, médicos, ricos, pobres, iluminados, e outros. Mas, para ajudar aqueles que necessitam escolheram ou foram escolhidos para voltar a terra em forma incorporada de Preto-Velho. Outros, nem negros foram, mas escolheram como missão voltar nessa pseudo-forma. Assim como crianças, caboclos e outras Linhas de Umbanda. Esses espíritos assumem esta forma com o objetivo de manter uma perfeita comunicação com aqueles que os vão procurar em busca de ajuda assim, com essa identidade e afinidade.
O espírito que evoluiu tem a capacidade de assumir qualquer forma, pois ele é energia viva e conduzente de luz, a forma é apenas uma conseqüência do que eles tenham que fazer na terra. Tudo isso vai de acordo com o seu trabalho, sua missão.
Para muitos os Pretos-Velhos são conselheiros mostrando a vida e seus caminhos; para outros, são pisicólogos, amigos, confidentes, mentores espirituais; para outros, são os exorcistas que lutam com suas mirongas, banhos de ervas, pontos de fogo, pontos riscados e outros, apoiados pelos exus desfazendo trabalhos. Também combatem as forças negativas (o mal), espíritos obssessores e kiumbas.

Qualidade dos Pretos-Velhos:

A linha é um todo, com suas características gerais, ditas acima, mas diferenças ocorrem porque os Pretos-Velhos são trabalhadores de orixás e trazem para sua forma de trabalho a essência da irradiação do Orixá para quem eles trabalham. Essas diferenças são evidenciadas na incorporação e também na maneira de trabalhar e especialidade deles. Para exemplificar, separaremos abaixo por Orixás:
Pretos-Velhos De Ogum: São mais rápidos na sua forma incorporativa e sem muita paciência com o médium e as vezes com outras pessoas que estão cambonando e até consulentes. São diretos na sua maneira de falar, não enfeitam muito suas mensagens, as vezes parece que estão brigando, para dar mesmo o efeito de “choque”, mais são no fundo extremamente bondosos tanto para com seu médium e para as outras pessoas. São especialistas em consultas encorajadoras, ou seja, encorajando e dando segurança para aqueles indecisos e “medrosos”. É fácil pensar nessa característica pois Ogum é um Orixá considerado corajoso.
Pretos-Velhos De Oxum: São mais lentos na forma de incorporar e até falar. Passam para o médium uma serenidade inconfundível. Não são tão diretos para falar, enfeitam o máximo a conversa para que uma verdade dolorosa possa ser escutada de forma mais amena, pois a finalidade não é “chocar” e sim, fazer com que a pessoa reflita sobre o assunto que está sendo falado. São especialistas em reflexão, nunca se sai de uma consulta de um Preto-Velho de Oxum sem um minuto que seja de pensamento interior. As vezes é comum sair até mais confuso do que quando entrou, mas é necessário para a evolução daquela pessoa.
Pretos-Velhos De Xangô: Sua incorporação é rápida como as de Ogum. Assim como os caboclos de Xangô, trabalham para causas de prosperidade sólida, bens como casa própria, processo na justiça e realizações profissionais. Passam seriedade em cada palavra dita. Cobram bastante de seus médiuns e consulentes.
Pretos-Velhos De Iansã: São rápidos na sua forma de incorporar e falar. Assim como os de Ogum, não possuem também muita paciência para com as pessoas. Essa rapidez é facilmente entendida, pela força da natureza que os rege, e é essa mesma força lhes permite uma grande variedade de assuntos com os quais ele trata, devido a diversidade que existe dentro desse único Orixá. Geralmente suas consultas são de impacto, trazendo mudança rápida de pensamento para a pessoa. São especialistas também em ensinar diretrizes para alcançar objetivos, seja pessoal, profissional ou até espiritual. Entretanto, é bom lembrar que sua maior função é o descarrego. É limpar o ambiente, o consulente e demais médiuns do terreiro, de eguns ou espíritos de parentes e amigos que já se foram, e que ainda não se conformaram com a partida permanecendo muito próximos dessas pessoas.
Pretos-Velhos De Oxossi: São os mais brincalhões, suas incorporações são alegres e um pouco rápidas. Esses Pretos-Velhos geralmente falam com várias pessoas ao mesmo tempo. Possuem uma especialidade: A de receitar remédios naturais, para o corpo e a alma, assim como emplastros, banhos e compressas, defumadores, chás, etc… São verdadeiros químicos em seus tocos. – Afinal não podiam ser diferentes, pois são alunos do maior “químico” – Oxossi.
Pretos-Velhos De Nanã: São raros, sua maneira de incorporação é de forma mais envelhecida ainda. Lenta e muito pesada. Enfatizando ainda mais a idade avançada. Falam rígido, com seriedade profunda. Não brincam nas suas consultas e prezam sempre o respeito, tanto do médium quanto do consulente, e pessoas a volta como: cambonos e pessoas do terreiro em geral e principalmente do pai ou da mãe de santo. Cobram muito do seu médium, não admitem roupas curtas ou transparentes. Seu julgamento é severo. Não admite injustiça. Costumam se afastar dos médiuns que consideram de “moral fraca”. Mais prezam demais a gratidão, de uma forma geral. Podem optar por ficar numa casa, se seu médium quiser sair, se julgar que a casa é boa, digna e honrada. É difícil a relação com esses guias, principalmente quanto há discordância, ou seja, não são muito abertos a negociação no momento da consulta. São especialistas em conselhos que formem moral, e entendimento do nosso karma, pois isso sem dúvida é a sua função. Atuam também como os de Inhasã e Obaluaiê, conduzindo Eguns.

Mensagem de Preto Velho

Pai Jeronimo

Trabalho na linha de pretos velhos com esta maravilhosa entidade.Um certo dia, ele atendeu de uma senhora que lhe veio consultar sobre um tumor nos seios, diagnosticado por uma mamografia.
Passes daqui, trabalhos dali, enfim, uma consulta normal…vela, erva, água…
Disse o preto:
- É mizim fia… Tá feito…mas num deixa de procurá o Homi de branco, dispois vem contá pro nego…nego vai ficá no toco esperando cunce vortá…
E saiu a consulente.
Numa próxima gira, estava lá o preto no toco e chegou a sua consulente, já na segunda parte do trabalho.
- Podi entrá mi zim fia, tava le esperano….
- É meu Velho, fui no médico sim…ele disse que o tumor sumiu, vai ver foi engano, o que a mamografia mostrou foi uma sombra de um queloide, que eu já tinha de cirurgia anterior. mas vim lhe agradecer, pois sei que o Senhor me curou..
Diga, meu Pai, o que o Senhor quer de presente, quero lhe agradecer…
Em nossa casa, as entidades as vezes ganham presentes, charutos, bebidas, mas não que peçam, porque as pessoas trazem em agradecimento mesmo, como deve ser em todo lugar.
Mas naquele dia o preto pediu…
- Me traga um bolo de chocolate, mi zi fia, suncê pode faze isso…?? Mais tem qui ser na proxima gira…eu num vô tá aqui, mas fala co caboclo chefe que ele manda mi chamá….
Todos estranharam, e eu mais ainda, passei a semana pensando naquele pedido, eu que amo bolo de chocolate, pensava comigo, Meu Velho…porque um bolo, Meu Pai…Até os filhos da casa acharam estranho e houve uma brincadeira ou outra…do tipo achando que iam comer o bolo….Alguém arriscou dizer que era a comemoração pela cura da mulher… Enfim…esperei ansiosa…Afinal…confio neles.
Em verdade torci para a mulher nem aparecer com aquele bolo…
Mas ela apareceu, e sentou na primeira fila, como tal bolo, todo confeitado de confetes coloridos.
Chegou o preto, com autorização do chefe do terreiro, que é Seu Serra Negra….
- Trouxe meu bolo, mi zim fia…
- Trouxe meu velho…
Então o preto levantou e disse que na assistencia tinha uma menina, de cor morena, que estava fazendo aniversario, 14 anos, e chamou-a.
Disse à menina:
- Mi zim fia, esse é presente que sunce pediu ao seu anjo da guarda, ele não pode vir, mandou o nego te entregar…
A criança marejou os olhos e saiu com o bolo na mão, sentar ao lado da mãe, que chorava muito na assitencia. Em 14 anos, nunca havia ganhado um bolo de chocolate….Nunca mais voltou, nunca mais vimos. E nunca esquecemos esta história.
Autor Desconhecido – Mensagem enviada por e-mail

->Que nesse último 13 de Maio… e ao longo de todos esses dias, até a próxima Festa de Pretos-velhos possamos refletir sobre isso. E retirar da experiência sábia vivida pelos pretos-velhos, um esteio onde aportar nossas próximas aspirações. Adorei as almas!!!

Veja mais:

Pontos Cantados – http://cantodoaprendiz.wordpress.com/2008/09/23/pontos-de-preto-velho/ - Click
Imagens de Pretos(as) Velhos(as) - http://cantodoaprendiz.wordpress.com/2008/08/22/indice-de-imagens-de-pretos-velhos/ - Click
Fontes de pesquisa e estudo:
* Sabedoria de Preto Velho – Pinheiro, Robson
* http://www.akcm.org.br/pai-joaquim.htmhttp://www.aevb.org/
* Escravidão no Brasil

quarta-feira, 9 de maio de 2012

CIGANA BONITA DO CAMPO...

Cigana Bonita do Campo 
Cigana bonita do campo
Seu encanto me fascina
Seu olhar me deixa louco de amor
Seu sorriso me cativa
Minha vontade me obriga
Conhecer quem foi que fez esta flor
Pra pedir consentimento
E marcar o casamento
E pra sempre nos teus braços
Vou viver de amor

Cigana bonita do campo
És minha vida meu maior desejo
Quero afogar-te de beijos
Quero afogar-te de beijos
 
(ANJO DE  OGUM)

terça-feira, 8 de maio de 2012

ORAÇÃO DO AMANHECER:


" ORAÇÃO DO AMANHECER "
Salve o Sol, a Natureza, o Orvalho da Manhã!

Salve Deus todo Poderoso,

que me dá a felicidade de tomar a benção a toda Natureza.

Salve o Vento, o Sol, a Chuva, as Nuvens, as Estrelas e a Lua!

Salve as forças das Águas, a Terra, a Areia e o Solo Fértil!



Que belo seja seu remédio!

O pão que parto a mesa, seja multiplicado!

O Trigo que carrego comigo, seja minha prosperidade.

Que o Universo me abrace e que os quatro elementos:

Terra, Água, Fogo e Ar,

me dêem as forças necessárias para todas as dificuldades de minha vida.

Que meus caminhos sejam abertos, hoje e sempre,

com toda a pureza dos Elementais e dos Anjos Mensageiros de Deus.

Amém.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

CIGANA...

Cigana,

morrer é o menos

por teus encantos fatais:

Teus lábios são dois venenos,

teus olhos são dois punhais.


Ai, não sorria

desta paixão insana.

Nestes três dias,

me matarás, Cigana.
 
(ANJO  DE  OGUM)

terça-feira, 1 de maio de 2012

CANTO CIGANO...



Canto Cigano
Seus cabelos,
Balançavam com o vento.
Ela dançava,
Dançava de dia,
Dançava de tarde,
Dançava à noite.

À noite,
Enquanto os archotes brilhavam,
E punham nela muitos fulgores,
Ela sorria e sorria...

Para quem sorria?
Para ninguém.
Bastava, para ela,
Sorrir para si mesma.

Sorria...
Sufocando o pranto,
Que lhe inundava a alma.
Porque, se ela chorasse,
Todos choravam também.

E ela tinha que sorrir,
Cantar,
Dançar.
Bailando,
Como baila o vento,
Cantando,
Como cantam as aves,
Só, tão só...

E, no entanto, dona absoluta,
De todos os olhares,
De todas as mentes,
Que estavam ali.
Cada um achando,
Que era para eles que ela sorria,
Quando, na verdade,
Ela não sorria para ninguém,
Ela sorria para si mesma.

O tempo passou...
E, no vento tão forte,
Que muda a vida,
Mudando as pessoas de lugar,
Daqui para acolá.

Um dia,
Ela deixou de dançar,
Mas não deixou de cantar.
Mesmo na solidão dos pinheiros gelados,
Fazia, com os rouxinóis,
Um dueto encantado.

O rouxinol cantava de tristeza,
Ela cantava de saudade,
De dor...

Por onde andará?
Como estará a terra dos meus amores?
Aonde estarão aqueles,
Que pisam, firme, o chão?
Aonde estará o meu povo?
Será que estão como eu...
Na solidão?

Canta, cigana,
Canta...
Deixa que o vento da vida te carregue,
Que a brisa te abrace
E que as folhas te teçam arpejos,
Nos ninhos dos pássaros.

A solidão nos faz
Aprender a viver,
Dentro de nós,
Num castelo encantado.

Onde se é possível,
Chorar sozinha
E rir, feliz,
Para todos os passantes,
Caminhantes,
Andantes de muitas terras,
De muitos sonhos,
De muitas estradas.

Deixa voar,
O seu sonho de paz,
Porque, um dia, você terá.

Não chore,
Não chore, cigana,
Cante.
Porque, mesmo sem cantar,
Você encanta.
E, Mesmo chorando,
Você sorri.

Deixa o tempo passar,
Deixa a folha voar,
Voar...
Porque, um dia,
Paz você terá!


(ANJO  DE  OGUM)