Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

sexta-feira, 5 de abril de 2013

O TRABALHO ASTRAL DOS ESPÍRITOS CIGANOS:



O Trabalho Astral dos Espíritos Ciganos

Sobre o Culto aos Espiritos Ciganos em minhas andanças pelo mundo observei muitas situações ora agradáveis, ora descabidas e até mesmo absurdas. A princípio o que mais me chamou atenção foi a existência de fiéis de todos os tipos. Esta rica religiosidade, que de acordo com a sua natureza tem características próprias parece confundir algumas pessoas. Pessoas que não dão o aprofundamento a essência do culto e lhes interessa somente o superficial, como magias para isto e aquilo como se tudo se resolvesse a base de feitiços. A palavra feitiço vem do latim Facticius, na França começou a ser chamada de fetiche e quer dizer feito com as mãos, esta expressão “feito com as mãos” extrapolou as barreiras do bom senso e hoje vemos uma grande mercantilização da fé, não só dentro de cultos espiritualistas em geral, mas como em inúmeras linhas religiosas. Todos nós mediunizados, dentro do culto ou não temos dentro de nós o valioso Feitiço para que possamos melhorar nossas vidas. Nossas vibrações são únicas de acordo com a natureza de cada um. Nos temos força própria, um feitiço natural e diferente daquele que nos é impregnado. Mesmo porque a abordagem da Liturgia destas forças, ser sempre cheia de mistérios e vulgaridade. Assim sendo as pessoas levadas pelo desespero e desinformação; procuram uma saída rápida sem dar crédito a verdadeira alma da religiosidade Cigana.
O inconformismo e desejo de manutenção do status “sem fazer força” fogem da prática magica que visa tão somente energizar e restaurar energias para o melhor bem viver. Esta força, este feitiço que carregamos dentro de nós, se faz presente no espírito de boa vontade, de nos ajudarmos mutuamente, de ter consciência que pedidos descabidos desencadeiam uma série de maus entendidos, que ao final levará o praticante de cultos espiritualistas, ao descrédito, ao desespero e por falta do conhecimento desta essência religiosa tentará até mesmo outras religiões. Onde cometendo os mesmos erros também se desencantará. Temos que tomar muito cuidado com estas situações e estarmos certos dentro de nosso coração que queremos fazer aquilo, porque fazer e depois ficar se manifestando contra as entidades espirituais não é certo. E com certeza com esta atitude atrai espíritos inferiores, e a pessoa será levada a trilhar nos piores caminhos.
Por isso em verdade vos digo, professe acima de tudo sua fé com amor, se esclareça, estude. O padre, o Rabino e outros lideres, não se tornaram assim do dia para noite, tomemos o seu exemplo. Tenhamos fé nestas forças da natureza e sejamos felizes, fazendo a nossa parte. Antes de fazer seus potes ciganos, é benéfico que se saiba um pouco mais d a raça, para poder entender as mensagens dadas pelos Espiritos Ciganos, que por muitas vezes, para a proteção daquele medium, tem de entrar em diversas camadas espirituais, desde as Umbralinas e profundezas da terra até os mais sublimes patamares do universo.
A aura magnética, a energia dos ciganos, é sentida em totalidade por qualquer pessoa mais sensível. Quanto mais pelos inúmeros médiuns agraciados pela tarefa de corporifica-la. No entanto há de se desenvolver esta comunhão astral, para que se tenha melhor capacidade de comunicação com as forças etéricas. O que os espiritos ensinam, serve para que se trabalhe além da incorporação, outros tipos de trabalho mediúnico. O médium deverá estar muito bem preparado para registrar as sensações espirituais, e as emoções que os consulentes manifestam através de seus corpos físicos, emocionais e astrais, este preparo serve também para quando se esta deitando algum tipo de oráculo. Esta tarefa de preparação, além de ser vital, ela é de grande dificuldade. Por isto o caminho iniciático é tão importante, para que a evolução da mediunidade seja trilhada com firmeza, para que haja total integração entre espírito e corpo, para que possamos realmente ser totalmente imparcial à conversa travada, sem interferências do pensamento do médium. No trabalho espiritual de qualquer espécie, não pode haver duvidas, senão o espírito descredibilizado, passa a não integrar sua energia e fazer o trabalho que deve ser feito.
A Espiritualidade dos Ciganos ensina, os passos para antes, durante e depois do trabalho realizado. Os bons propósitos são fatores de supra -importância, deseje sempre o bem, por mais magoado que esteja, este desprendimento as vezes pode ser o maior castigo, para quem recebe as ondas de amor. Seja positivo. Faça caridade. Não se envaideça, pois quanto maior o grau de mediunidade, maior a responsabilidade e o karma. Estude. Não tenha medo. Seja amigo dos Vivos e dos Mortos. Aceite com amor a missão espiritual. Acredite sempre. Concentre-se. Observe. Seja receptivo.
O aspecto físico deverá ser observado e dependendo do estado geral a própria entidade deverá atuar medindo se o médium deve ou não estar apto para o trabalho espiritual, assim como é responsabilidade do médium, manter-se em condições para tal, salvo em ocasiões que fujam ao seu controle. Os exemplos são muito nítidos, se há trabalho espiritual, devemos evitar, festas, saídas a noite, ambientes que podem desgastar nossa energia, ocasionando um desgaste no corpo físico. Se poupando para o trabalho mediúnico. Pois senão a entidade poderá trabalhar sem o rendimento necessário e quando voltar ao astral, o médium estar cansado em demasia.
O aspecto astral deve ser observado de ambas as partes, se o médium precisou ir a lugares energeticamente poluídos, como por exemplo, enterros, velórios, hospitais, e não houver como evitar o trabalho mediúnico neste dia, deverá preparar o aspecto astral no corpo físico. Tomando banhos de limpeza, abertura de aura, das suas entidades protetoras, etc.... Se realmente não for possível, entrar em acordo com a entidade para que o trabalho seja o mais breve possível para que o médium possa descansar.
O aspecto emocional, é o mais difícil de ser cuidado, pois a missão mediúnica, é realmente um carma que devemos transformar em darma, mas geralmente a parte mais dificultosa da missão é a família. Os cuidados seriam não se aborrecer, nos dias de trabalho mediúnico, cultivar a paz, o bom humor, a alegria, a louvação ao pai, etc... As vezes não é possível, então se possível for, devemos pedir aos nossos amigos astrais, que nos liberem desta vez, para que de outra possamos fazer um trabalho ilibado e que seja realmente um motivo de alegria, tanto para nós quanto para nossos mestres.
A Abertura de nossos corpos físicos, emocional e astral, pode e deve sempre ser facilitada pelo que nos é ensinado, pelos nossos amigos. Uma destas formas de abertura, é conhecendo os poderes, as propriedades de poder da natureza. Ao sair de casa ou mesmo na casa de caridade (conforme for o caso) tomar banhos de limpeza, de abertura de aura, e já durante o banho ir mentalizando todo o belo trabalho que poderá ser feito, mentalizando com alegria, em agradecimento ao pai, pela chance de poder nos oferecer evolução através de um trabalho tão bonito
Fazer uma preparação, físico-espiritual se resguardando de sexo, carne, álcool e tabaco. Acender velas ou fazer orações para o seu anjo guardião. E estar sempre prestando o serviço mediúnico com amor, sem julgar os que vão até a sua casa, pois Jesus não pergunta as crenças do irmão que sofre (lembre-se sempre disto). Ao termino, sua entidade ou outras amigas (conforme for o caso) deverão estar indicando a você o tratamento mais adequado, mais em minha opinião, nestes tantos anos, e confirmado pelo Mestre Ramiro, o banho de descarrego deve ser tomado nos moldes tradicionais. Se não for possível, tome um banho de limpeza corporal de água pura mesmo e utilize sempre essência de alfazema, pois ela é por excelencia, sempre um inibidor dos espíritos maus intencionados.
Ditado por Ramiro do Cairo em 28/10/2008 – psicografia de Ramona Torres.