Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

sábado, 17 de agosto de 2013

O MAPA DO CASAL:


O Mapa do Casal


:: Sonia Weil ::


Última cena da novela ou filme hollywoodiano: o casamento do herói e da heroína. A finalização de toda uma relação que envolve os sonhos, emoções, e principalmente os conflitos e obstáculos que foram, ao longo da estória, traçando momentos de proximidade e afastamento. Finalmente, isso tudo se resolve no tradicional “final feliz”. A lente se afasta, mostrando os nossos personagens juntos, geralmente em algum cenário idílico.

No entanto, as coisas não são tão simples assim. Principalmente, porque o casamento ou qualquer tipo de união é o começo, e não o final da relação. É agora que eles começam a se descobrir verdadeiramente. É a partir desse momento, no contato cotidiano, que as semelhanças e diferenças começam a ficar claras.

O tempo do namoro - e, principalmente da paixão - não nos permite ver o outro com clareza. Primeiro, porque nos defrontamos com as nossas próprias projeções de “como deve ser o nosso amado” e o amor.
Jogamos sobre ele as nossas expectativas, e queremos que ele corresponda a elas. Ficamos felizes com eles quando o fazem, e decepcionados quando não agem da maneira que esperamos.

Geralmente estamos tão imersos em nossos próprios desejos, sonhos e imaginação, que criamos uma “relação imaginária”, a partir da qual interpretamos todos os gestos e sentimentos do outro e os acontecimentos do namoro.

É difícil enxergar o outro claramente quando estamos envolvidos. Muitas vezes são as outras pessoas que nos mostram aspectos do nosso amado que não conseguimos perceber (e, às vezes, quando estes lados não são favoráveis ou não são os que desejamos - por mais que falem - continuamos sem ver).

É difícil lidar com a diferença, porque precisamos abrir mão do nosso olhar único de “como as coisas são”. Isto envolve as nossas crenças, critérios e valores - tão cuidadosamente construídos por toda a nossa vida.

Ver com clareza como o outro funciona nos exige perceber que ele tem maneiras de sentir, pensar e agir diferentes dos nossos. E assim o é, porque também se construiu a partir das suas experiências ao longo da vida.

Um marido que tem um 9 na Estrutura Interna (maneira de sentir a vida) será sempre mais introspectivo, pois tem necessidade de se recolher em si mesmo para pensar na sua vida. Suas decisões são sempre maturadas durante um certo tempo - e ele gosta de faze-lo silenciosamente.

No entanto, se a sua esposa tiver um 3 nesta mesma posição, gostará de discutir tudo e terá grande necessidade de comunicação. Se não compreender as diferenças, poderá se sentir rejeitada e começar a interpretar os fatos à sua maneira - afinal, “porque ele não a busca para conversar sobre o que está havendo“?
“Será que ele está escondendo alguma coisa”?
“Porque fica isolado, pensando”?

E isto pode levar ao pensamento de que ele não goste dela. E na verdade, ele tem apenas uma maneira diferente de gostar.

Uma namorada que tenha um 10 em pontos fundamentais do mapa, precisará sempre de liberdade e autonomia, uma vez que ela é ativa e dinâmica e estará sempre tomando as iniciativas necessárias pra resolver os problemas da sua vida. O seu casamento precisará também manter este espaço de independência, para que ela seja feliz.

Mas se o seu marido for um 6, terá como valores fundamentais a família e a parceria cotidiana – fazer tudo juntos, discutir cada decisão com ela - e projetará ainda sobre ela a expectativa de uma mulher caseira e maternal, sempre à sua espera e em função da família. Tudo o que ela não é, e não conseguiria ser.

Talvez eles se casem esperando que o outro mude. Cada um projeta sobre o outro a “pessoa” ideal. Ela espera que ele entenda a sua sede de liberdade, e a respeite; e ele imagina que, depois do casamento, ela deixe de lado essa liberdade e assuma o “papel de mulher casada”, se adaptando às suas novas condições.

Mas, na verdade, a natureza de cada um é diferente. Cada um sente a vida de maneira própria, e precisa de coisas diferentes para se realizar.

Esperar simplesmente que o outro corresponda às suas expectativas pode ser decepcionante. Mais sábio é investir no conhecimento do parceiro e a Numerologia pode ser um grande recurso nesse sentido. Trazendo elementos para que se descubra como ele realmente é. Quais são as suas expectativas e necessidades. Os seus pontos fortes e fracos. O seu caminho de vida.

E de como essa relação entre os dois pode se dar, com todas as diferenças e semelhanças. Na busca da harmonia e da felicidade.