Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

domingo, 8 de setembro de 2013

MAGIA DO FLORIPÔNDIO:


Datura arborea

Também é conhecida na costa da Colômbia como corneta de anjo, em Bolívar como higatón e no Peru como floripôndio. (Nota do Ed.:E no Brasil, como saia-branca.)

O elemental do floripôndio é um mago completo, é netuniano e tem poderes terríveis. Visto clarividentemente, ele se parece com um menino de 12 anos e mantém em sua mão a vara do mago.

Cada árvore tem seu correspondente elemental, o qual deve ser utilizado por aqueles que quiserem sair conscientemente em corpo astral. Eu usava o elemental desta árvore frequentemente para ensinar meus discípulos a sair em corpo astral. Digo que usava porque estou me referindo a tempos antigos.
Maneira de Proceder

Eu pegava uma vara da própria árvore com a qual traçava ao redor dela um círculo bem amplo no chão, esmagava as flores da árvore e untava com o suco o cérebro do discípulo. O discípulo deitado em seu leito adormecia e eu dava ordens ao elemental para que o tirasse fora do corpo físico. Estas ordens iam acompanhadas do mantra da planta: KAM, o qual se pronuncia alongando o som das duas últimas letras. Assim:
KAAAAAAAMMMMMMM

Os discípulos gnósticos de hoje devem aproveitar os poderes desse elemental para aprender a sair em corpo astral conscientemente.

A maneira de proceder é a que ensinamos no parágrafo anterior. Quando se ordenar ao elemental, fale-se imperiosamente assim:

Quando eu te chamar, concorrerás sempre. Eu preciso que me tires do corpo Físíco em corpo astral sempre que te ordenar.

Posteriormente, o discípulo picará o dedo da mão com um alfinete, fará uma incisão na árvore com uma faca e nela depositará seu sangue. Desta forma, o pacto com o gênio do floripôndio estará formalizado.

“Escreve com sangue e aprenderás que o sangue é espírito.” ( Nietzsche)

“Este é um fluido muito peculiar.” ( Goethe )

Em seguida, o discípulo cortará alguns de seus cabelos e os pendurará na árvore. Colherá algumas pétalas das flores, colocará em uma bolsinha e a pendurará no pescoço como talismã. A partir desse momento, o discípulo terá a seu serviço esse humilde elemental, que sempre atenderá ao seu chamado.

Quando o discípulo quiser sair em corpo astral, adormecerá em seu leito pronunciando o mantra da árvore e, com a mente concentrada nesse gênio elemental, o chamará mentalmente, rogando-lhe que o tire em corpo astral. Nesse estado de transição entre o sono e a vigília, o elemental do floripôndio o tirará de seu corpo físico, levando-o aos lugares anelados.

Cada vez que puder, o discípulo deve visitar a árvore, regá-la com água, abençoá-la e colher as flores que utilizará quando melhor lhe agrade. Já dissemos antes que se esmagam essas flores com uma pedra para delas se extrair o sumo, o qual se aplirará no cérebro a fim de sair em corpo astral.

Convém advertir que a aplicação do suco se efetua na hora de se deitar, quando o discípulo vai se entregar ao sono. Quando não se tiver as flores à mão, o discípulo sempre poderá invocar seu servidor elemental para que o tire em corpo astral.

Este elemental tem tamhém poder para tornar alguém invisível. Quando o discípulo quer se tornar invisível, pronuncia o mantra KAM, chama seu servidor e roga-lhe que o faça invisível, e ele atenderá.

Em tempos anteriores, quando eu queria ficar invisível, esmagava as flores, como aliás já expliquei, aplicava o sumo nas juntas do corpo e rogava ao elemental para que me fizesse invisível. Não obstante, advertimos que o discípulo precisa primeiro superar o corpo.

Antigamente, o homem vivia no seio da Mãe Natureza e todos os poderes da bendita Deusa Mãe do Mundo ressoavam vigo-rosamente em suas caixas de rossonância e se expressavam através de todos seus chacras com a grandiosa euforia do universo. Hoje em dia, o corpo humano está completamente desadaptado e as potentes ondas do universo não podem se expressar através dele. Cabe-nos ajustar novamente o corpo ao seio da bendita Deusa Mãe do Mundo.



Toca-nos limpar este maravilhoso organismo e preparar o corpo para que se converta outra vez em uma caixa de ressonância da natureza. O discípulo invocará diariamente as sete potências com o poderoso mantra MUERISIRANCA. Rogará para que lhe preparem o corpo para o exercício da magia prática.

Deverá ser também bastante tenaz e perseverante, ano após ano, invocando diariamente as sete potências para que preparem o corpo. O corpo de um mago tem uma tonalidade vibratória diferente da dos demais corpos da espécie humana.

O artista jamais executará com êxito as suas melodias, por melhor que seja seu instrumento musical, se este não estiver devidamente afinado. A mesma coisa acontece como corpo humano do mago, o qual precisa afinar seu maravilhoso organismo para poder executar com plenitude seus grandes trabalhos de magia prática.

O sumo das flores do floripôndio, aplicado nas articulações, serve para dar agilidade aos músculos.

Assista ao vídeo A Magia do Floripôndio

FONTE: GNOSIS ON LINE