Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

sábado, 24 de maio de 2014

LENDA DE ÒSÚN POR CLAUDIA KRINDGES:




LENDA DE ÒSÚN!

"Òsún era a mais bela e amada filha de Oxalá. Dona de beleza e meiguice
sem iguais, a todos seduzia pela graça e inteligência. Òsún era também extremamente curiosa e apaixonada.
E quando certa vez, se apaixonou por um dos orixás, quis aprender com
Orunmilá, o melhor amigo de seu pai, a ver o futuro.
Como o cargo de Oluô (dono do segredo) não podia ser ocupado por uma
mulher, Orunmilá, já velho, recusou-se a ensinar o que sabia a Òsún.
Òsún então, seduziu Esù, que não pôde resistir ao encanto de sua beleza
e pediu-lhe roubasse o jogo de ikin (cascas de coco de dendezeiro) de
Orunmilá. Para assegurar seu empreendimento, Òsún partiu para a floresta
em busca das Iyami Oshorongá, as perigosas feiticeiras africanas,
a fim pedir também à elas, que a ensinassem a ver o futuro.
Como as Iyami desejavam provocar Esù há tempos, não ensinaram Òsún
a ver o futuro, pois sabiam que Esù já havia roubado os segredos de
Orunmilá, mas a fazer inúmeros feitiços, em troca de que a cada um
deles, elas recebessem sua parte.
Tendo Esù conseguido roubar os segredos de Orunmilá, o Deus da
Adivinhação se viu obrigado a partilhar com Òsún, os segredos do oráculo e
lhe entregou os 16 búzios com que até hoje as mulheres jogam.
Òsún representa, assim a sabedoria e o poder feminino.
Em agradecimento a Esù, Òsún deu a Esù, a honra de ser o primeiro
orixá a ser louvado no jogo de búzios, e entrega a eles suas palavras para
que as traga aos sacerdotes.
Assim, Òsún é também a força da vidência feminina.
Mais tarde, Òsún encontrou Oxóssi na mata e apaixonou-se por ele.
A água dos rios e floresta tiveram então um filho, chamado Logun-Edé,
a criança mais linda, inteligente e rica que já existiu.
Apesar do seu amor por Oxóssi, numa das longas ausências destes,
Òsún foi seduzida pela beleza, os presentes (Òsún adora presentes) e
o poder de Xangô, irmão de Oxóssi, rompendo sua união com o Deus da
Floresta e da Caça. Como Xangô não aceitasse Logun-Edé em seu palácio,
Òsún abandonou seu filho, usando como pretexto a curiosidade do menino,
que um dia foi vê-la, banhar-se no rio.
Òsún pretendia abandoná-lo sozinho na floresta, mas o menino se esconde
sob a saia de Oyá-Yansã, a Deusa dos Raios que estava por perto.
Òsún deu então seu filho à Oyá-Yansã e partiu com Xangô tornando-se,
a partir de então, sua esposa predileta e companheira cotidiana."


Fonte: ILÉ ASÉ ONAN LAYÓ
Arte: CLAUDIA KRINDGES (detalhe de tela)