Pesquisar este blog

Follow by Email

LINK...

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

DICAS PARA A VIRADA DO ANO!!!


Mesmo quem não acredita pensa; “Ah, mal não faz, então vou fazer”…

Pois é, uma ajudinha na energia pra Virada do Ano todo mundo quer, então vamos ver dados de cada Signo do Zodíaco que você pode usar para criar uma magia especial.



Aquário

De 21 de janeiro a 19 de fevereiro

Signo de Ar

Regido por Urano e Saturno

Anjo Uriel

Use algo azul turqueza no tornozelo e uma folha de hortelã em sua roupa íntima.



Peixes

De 20 de fevereiro a 20 de março

Signo de Água

Regido por Netuno e corregido por Júpiter

Anjo Asariel

Use algo verde ou lilás na sola dos pés ( se faltar opção, escreva com canetinha nestas cores, na sola dos pés, algo que queira no ano seguinte ) e uma pitada de noz moscada em sua roupa íntima.



Áries

De 21 de março a 20 de abril

Signo do Fogo

Regido por Marte

Anjo Samuel

Use algo vermelho na cabeça ( para mulher tá fácil, batom, brincos, fivelas, algo no cabelo… já para homem, boné, chapéu, bandana…)

e uma folha de manjericão na roupa íntima.



Touro

De 21 de abril a 20 de maio

Signo de Terra

Regido por Vênus

Anjo Anael

Use algo rosa ou verde claro no pescoço e uma folha de uva ou tomilho na roupa íntima.



Gêmeos

De 21 de maio a 20 de junho

Signo de Ar

Regido por Mercúrio

Use algo amarelo no braço ou na mão e uma folha de salsa ou alfazema na roupa íntima.



Câncer

De 21 de junho a 21 de julho

Signo de Água

Regido pela Lua

Use algo branco ou cinza claro no tórax/peito e uma pétala de rosa branca ou violeta na roupa íntima.



Leão

De 22 de julho a 22 de agosto

Signo de Fogo

Regido pelo Sol

Use algo laranja ou dourado perto do coração ou coluna e uma folha de alecrim ou camomila na roupa íntima.



Virgem

De 23 de agosto a 22 de setembro

Signo de Terra

Regido por Mercúrio

Use algo azul marinho ou verde forte no abdômen e uma folha de cominho ou erva doce na roupa íntima.



Libra

De 23 de setembro a 22 de outubro

Signo de Ar

Regido por Vênus

Use algo rosa ou verde claro nas costas, na altura dos rins e uma folha de rosa ou margarida (qualquer cor) na roupa íntima.



Escorpião

De 23 de outubro a 21 de novembro

Signo de Água

Regido por Plutão e Marte

Use algo preto ou marrom escuro no quadril, região dos órgãos genitais e uma pitada de gengibre na roupa íntima.



Sagitário

De 22 de novembro a 21 de dezembro

Signo de Fogo

Regido por Júpiter

Use algo azul escuro ou roxo no quadril ou coxas e uma folha de hortelã ou um cravo da índia na roupa íntima.



Capricórnio

De 22 de dezembro a 20 de janeiro

Signo de Terra

Regido por Saturno

Use algo preto ou cinza escuro no joelho ou na pele e uma folha de hera ou confrei na roupa íntima.



Observação: caso perceba que possa ter reação alérgica com os itens para colocar na roupa íntima, coloque então em um bolso de sua roupa.

Feliz Ano Novo


segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

COMO SERÁ 2.015 CONFORME A NUMEROLOGIA?




Foto - Shutterstock



Um novo ano não significa apenas uma data no calendário, mas também uma oportunidade de começar coisas novas, encerrar pendências, arriscar, traçar e cumprir metas. E 2015 é um ano para realizar o quê?


“Segundo a numerologia, 2015 é um ano 8, número das recompensas, do poder e do planejamento, que está ligado ao trabalho e ao dinheiro. É a continuidade, pois o 8 na horizontal é o símbolo do infinito. Tudo que for feito neste ano para seu crescimento profissional é positivo. Para os negócios também é muito bom, tanto que muitos comerciantes utilizam a numerologia nos seus preços de forma que vibrem a energia do 8, trazendo a prosperidade e aumento nas vendas”, explica o numerólogo André Mantovanni, autor do livro “Magia Sagrada – Rituais, Feitiços e Simpatias”.

Se você esta pensando em começar seu negócio próprio, a hora é agora! E se por um lado as questões profissionais são promissoras, o coração pode passar por momentos turbulentos.

“Para os relacionamentos, é um ano em que se precisará ter um pouco de calma, pois o poder que o número 8 traz pode se manifestar nas emoções, deixando as pessoas um pouco controladoras e ‘mandonas’, sufocando as relações. Se possível, é melhor adiar grandes acontecimentos, mas é claro que se for inevitável, tente ser generosa e se colocar no lugar do outro, pra não monopolizar as decisões e deixar tudo chato”, explica ele.

Outro campo bastante preocupante é a política e que rumo ela levará, principalmente aqui no Brasil, onde a presidenta foi reeleita em uma disputa acirrada.

“Na política, estaremos na corda bamba. Imprevistos podem acontecer e os políticos devem estar atentos às negociações, para fazer tudo de forma planejada, pois haverá muitas investigações e questionamentos por parte da população. O 8 também questiona o poder interno, e no tarô representa o arcanjo da Justiça. Uiii!

André acredita que todos os planos para este ano devem ter foco em questões que necessitem da razão, do intelecto e do equilíbrio emocional. Faça cursos, invista no crescimento pessoal, busque alcançar a sabedoria de uma forma que possa ser aplicada na prática e revertida em algo concreto em sua vida.

Tudo que envolve questões emocionais estará de certa forma mais racional, gerando frieza nas relações. Então devemos ficar atentos a esta parte de nossas vidas, para não sermos egoístas.



LEIA TAMBÉM

Numerologia ajuda a escolher o nome do bebê






Por Helena Dias

sábado, 13 de dezembro de 2014

CONHEÇA A HISTÓRIA DA SANTA PROTETORA DOS OLHOS, SANTA LUZIA, HOJE 13/12 É SEU DIA!!!





Santa Luzia (ou Santa Lúcia), cujo nome deriva do latim, é muito amada e invocada como a protetora dos olhos, janela da alma, canal de luz.


Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, ao ponto de Luzia ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe queria vê-la casada com um jovem de distinta família, porém pagão. Ao pedir um tempo para o discernimento foi para uma romaria ao túmulo da mártir Santa Ágeda, de onde voltou com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimento por que passaria, como Santa Ágeda.


Vendeu tudo, deu aos pobres e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Santa Luzia, não querendo oferecer sacrifício ao deuses e nem quebrar o seu santo voto, teve que enfrentar as autoridades perseguidoras e até a decapitação em 303, para assim testemunhar com a vida, ou morte o que disse: “Adoro a um só Deus verdadeiro, e a ele prometi amor e fidelidade”.


Somente em 1894 o martírio da jovem Luzia, também chamada Lúcia, foi devidamente confirmado, quando se descobriu uma inscrição escrita em grego antigo sobre o seu sepulcro, em Siracusa, Ilha da Sicília. A inscrição trazia o nome da mártir e confirmava a tradição oral cristã sobre sua morte no início do século IV.


Mas a devoção à santa, cujo próprio nome está ligado à visão (“Luzia” deriva de “luz”), já era exaltada desde o século V. Além disso, o papa Gregório Magno, passado mais um século, a incluiu com todo respeito para ser citada no cânone da missa. Os milagres atribuídos à sua intercessão a transformaram numa das santas auxiliadoras da população, que a invocam, principalmente, nas orações para obter cura nas doenças dos olhos ou da cegueira.


Diz a antiga tradição oral que essa proteção, pedida a santa Luzia, se deve ao fato de que ela teria arrancado os próprios olhos, entregando-os ao carrasco, preferindo isso a renegar a fé em Cristo. A arte perpetuou seu ato extremo de fidelidade cristã através da pintura e da literatura. Foi enaltecida pelo magnífico escritor Dante Alighieri, na obra “A Divina Comédia”, que atribuiu a santa Luzia a função da graça iluminadora. Assim, essa tradição se espalhou através dos séculos, ganhando o mundo inteiro, permanecendo até hoje.


Luzia pertencia a uma rica família de Siracusa. Sua mãe, Eutíquia, ao ficar viúva, prometeu dar a filha como esposa a um jovem da Corte local. Mas a moça havia feito voto de virgindade eterna e pediu que o matrimônio fosse adiado. Isso aconteceu porque uma terrível doença acometeu sua mãe. Luzia, então, conseguiu convencer Eutíquia a segui-la em peregrinação até o túmulo de santa Águeda ou Ágata. A mulher voltou curada da viagem e permitiu que a filha mantivesse sua castidade. Além disso, também consentiu que dividisse seu dote milionário com os pobres, como era seu desejo.


Entretanto quem não se conformou foi o ex-noivo. Cancelado o casamento, foi denunciar Luzia como cristã ao governador romano. Era o período da perseguição religiosa imposta pelo cruel imperador Diocleciano; assim, a jovem foi levada a julgamento. Como dava extrema importância à virgindade, o governante mandou que a carregassem à força a um prostíbulo, para servir à prostituição. Conta a tradição que, embora Luzia não movesse um dedo, nem dez homens juntos conseguiram levantá-la do chão. Foi, então, condenada a morrer ali mesmo. Os carrascos jogaram sobre seu corpo resina e azeite ferventes, mas ela continuava viva. Somente um golpe de espada em sua garganta conseguiu tirar-lhe a vida. Era o ano 304.


Para proteger as relíquias de santa Luzia dos invasores árabes muçulmanos, em 1039, um general bizantino as enviou para Constantinopla, atual território da Turquia. Elas voltaram ao Ocidente por obra de um rico veneziano, seu devoto, que pagou aos soldados da cruzada de 1204 para trazerem sua urna funerária. Santa Luzia é celebrada no dia 13 de dezembro e seu corpo está guardado na Catedral de Veneza, embora algumas pequenas relíquias tenham seguido para a igreja de Siracusa, que a venera no mês de maio também.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

NOSSA SENHORA DE GUADALUPE:


9 de dezembro: Nossa Senhora de Guadalupe...







http://www.youtube.com/watch?v=zwIQLQF8RwU - documentário Virgem Guadalupe 54 minutos - em português




Breve resumo da história






No dia 9 de dezembro de 1531, na cidade do México, Nossa Senhora apareceu ao nobre índio Quauhtlatoatzin — que havia sido batizado com o nome de Juan Diego — e pediu-lhe que dissesse ao bispo da cidade para construir uma igreja em sua honra. Juan Diego transmitiu o pedido, e o bispo exigiu alguma prova de que efetivamente a Virgem aparecera. Recebendo de Juan Diego o pedido, Nossa Senhora fez crescer flores numa colina semi-desértica em pleno inverno, as quais Juan Diego devia levar ao bispo. Este o fez no dia 12 de dezembro, acondicionando-as no seu manto. Ao abri-lo diante do bispo e de várias outras pessoas, verificaram admirados que a imagem de Nossa Senhora estava estampada no manto. Muito resumidamente, esta é a história, que foi registrada em documento escrito. Se ficasse só nisso, facilmente poderiam os céticos dizer que é só história, nada há de científico.


Os problemas para eles começam com o fato de ter-se conservado o manto de Juan Diego, no qual está impressa até hoje a imagem. Esse tipo de manto, conhecido no México como tilma, é feito de tecido grosseiro, e deveria ter-se desfeito há muito tempo. No século XVIII, pessoas piedosas decidiram fazer uma cópia da imagem, a mais fidedigna possível. Teceram uma tilma idêntica, com as mesmas fibras de maguey da original. Apesar de todo o cuidado, a tilma se desfez em quinze anos. O manto de Guadalupe tem hoje 475 anos, portanto nada deveria restar dele.
Uma vez que o manto (ou tilma) existe, é possível estudá-lo a fim de definir, por exemplo, o método usado para se imprimir nele a imagem. Comecemos pela pintura. Em 1936, o bispo da cidade do México pediu ao Dr. Richard Kuhn que analisasse três fibras do manto, para descobrir qual o material utilizado na pintura. Para surpresa de todos, o cientista constatou que as tintas não têm origem vegetal, nem mineral, nem animal, nem de algum dos 111 elementos conhecidos. “Erro do cientista” — poderia objetar algum cético. Difícil, respondemos nós, pois o Dr. Kuhn foi prêmio Nobel de Química em 1938.(2) Além do mais, ele não era católico, mas de origem judia, o que exclui parti-pris religioso.


No dia 7 de maio de 1979 o prof. Phillip Serna Callahan, biofísico da Universidade da Flórida, junto com especialistas da NASA, analisou a imagem. Desejavam verificar se a imagem é uma fotografia. Resultou que não é fotografia, pois não há impressão no tecido. Eles fizeram mais de 40 fotografias infravermelhas para verificar como é a pintura. E constataram que a imagem não está colada ao manto, mas se encontra 3 décimos de milímetro distante da tilma. Para os céticos, outra complicação: verificaram que, ao aproximar os olhos a menos de 10 cm da tilma, não se vê a imagem ou as cores dela, mas só as fibras do manto.


Convém ter em conta que ao longo dos tempos foram pintadas no manto outras figuras. Estas vão se transformando em manchas ou desaparecem. No caso delas, o material e as técnicas utilizadas são fáceis de determinar, o que não acontece com a imagem de Nossa Senhora.


Os olhos da imagem




Um olho da Imagem visto de perto






Talvez o que mais intriga os cientistas sobre o manto de Nossa Senhora de Guadalupe são os olhos dela. Com efeito, desde que em 1929 o fotógrafo Alfonso Marcué Gonzalez descobriu uma figura minúscula no olho direito, não cessam de aparecer as surpresas. Devemos primeiro ter em vista que os olhos da imagem são muito pequenos, e as pupilas deles, naturalmente ainda menores. Nessa superfície de apenas 8 milímetros de diâmetro aparecem nada menos de 13 figuras! O cientista José Aste Tonsmann, engenheiro de sistemas da Universidade de Cornell e especialista da IBM no processamento digital de imagens, dá três motivos pelos quais essas imagens não podem ser obra humana:


• Primeiro, porque elas não são visíveis para o olho humano, salvo a figura maior, de um espanhol. Ninguém poderia pintar silhuetas tão pequenas;


• Em segundo lugar, não se consegue averiguar quais materiais foram utilizados para formar as figuras. Toda a imagem da Virgem não está pintada, e ninguém sabe como foi estampada no manto de Juan Diego;


• Em terceiro lugar, as treze figuras se repetem nos dois olhos. E o tamanho de cada uma delas depende da distância do personagem em relação ao olho esquerdo ou direito da Virgem.


Esse engenheiro ficou seriamente comovido ao descobrir que, assim como os olhos da Virgem refletem as pessoas diante dela, os olhos de uma das figuras refletidas, a do bispo Zumárraga, refletem por sua vez a figura do índio Juan Diego abrindo sua tilma e mostrando a imagem da Virgem. Qual o tamanho desta imagem? Um quarto de mícron, ou seja, um milímetro dividido em quatro milhões de vezes. Quem poderia pintar uma figura de tamanho tão microscópico? Mais ainda, no século XVI...


Tentativa de apagar o milagre


Assim como meu conhecido não desejava falar do Santo Sudário, outros não querem ouvir falar dessa imagem, que representa para eles problemas insolúveis. O anarquista espanhol Luciano Perez era um desses, e no dia 14 de novembro de 1921 colocou ao lado da imagem um arranjo de flores, dentro do qual havia dissimulado uma potente bomba. Ao explodir, tudo o que estava perto ficou seriamente danificado. Uma cruz metálica, que ficou dobrada, hoje se conserva no templo como testemunha do poder da bomba. Mas... a imagem da Virgem não sofreu dano algum.
E ainda ela está hoje ali, no templo construído em sua honra, assim como uma vez esteve Nosso Senhor diante do Apóstolo São Tomé e lhe ordenou colocar sua mão no costado aberto pela lança. São Tomé colocou a mão e, verificada a realidade, honestamente acreditou na Ressurreição. Terão essa mesma honestidade intelectual os incrédulos de hoje? Não sei, porque assim como não há pior cego do que o que não quer ver, não há pior ateu do que o que não deseja acreditar. Mas, como católicos, devemos rezar também por esse tipo de pessoas, pedindo a Nossa Senhora de Guadalupe que lhes dê a graça de serem honestas consigo mesmas.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

IANSÃ: SENHORA DOS VENTOS E DAS TEMPESTADES...




Sua grande qualidade, a garra, e seu grande defeito, a impensada franqueza...



Um fato que ficará sempre gravado para todos nós do Terreiro do Pai Maneco foi o belíssimo fenômeno de dois arco-íris juntos que abençoou um trabalho para Iemanjá, conforme vemos na foto. Interessante é que praticamente em todas as praias vizinhas chovia torrencialmente. Devemos isso à nossa Mãe Iansã. Eparrei!

Deusa Guerreira. Seu filho é conhecido por seu temperamento explosivo. Por seu temperamento inquieto e extrovertido em qualquer lugar chama a atenção. Sempre a sua palavra é que vale e gosta de impor aos outros a sua vontade. Não admite ser contrariado, pouco importando se tem ou não razão, pois não gosta de dialogar. Em estado normal é muito alegre e decidido. Questionado torna-se violento, partindo para a agressão, com berros, gritos e choro. Tem um prazer enorme em contrariar todo tipo de preconceito. Passa por cima de tudo que está fazendo na vida, quando fica tentado por uma aventura. Em seus gestos demonstra o momento que está passando, não conseguindo disfarçar a alegria ou a tristeza. Não tem medo de nada. Enfrenta qualquer situação de peito aberto. Ciumento demonstra egoísmo porque não se importa com que os outros sofram pelo seu gênio reconhecidamente mal-humorado. É leal e objetivo. Sua grande qualidade, a garra, e seu grande defeito, a impensada franqueza, o que lhe prejudica o convívio social. Por ser tão marcante seu gênio, se este fosse controlado, o que não é difícil, seria pessoa muito mais feliz e querida. Tem o grande defeito de gostar de seus defeitos.

Para definir bem a influência dos orixás nas pessoas vou contar uma estória engraçada: eu explicava para um grupo as influências dos Orixás nas pessoas. Simulei um fato. Duas pessoas brigando. Passando um filho de Ogum , ou ele passa direto e nem olha, ou já vai se meter na briga. Um filho de Xangô para, fica olhando, e já começa a reclamar. Coitado do baixinho! Por que será esta briga? Acho que aquele alto não tem razão. E pior, nem sabe brigar. É um fraco. E fica questionando. Um filho de Oxóssi para, senta no chão e, rindo, fica assistindo e se deleitando com a briga. Deu a entender ter terminado. Achei sugestiva sua explicação. Alguém indagou qual seria o comportamento das filhas do povo da água. Diante da minha negativa, alguém se propôs a completar. Bem, disse, uma filha de Iemanjá chamaria os dois, colocaria suas cabeças em seu colo e os acalmaria recomendando paz. Uma filha de Iansã já reclamaria e chamaria a polícia. E parou. De propósito, o esperto.
Bem, perguntou alguém, e uma filha de Oxum, que faria? Nada, respondeu. Nem poderia. Os dois estavam brigando por causa dela...

COR: Amarelo ouro
AMALÁ: 7 velas brancas e 7 amarelo escuro, água mineral, acarajé ou milho em espiga coberto com mel ou ainda canjica amarela, fitas branca e amarelo escuro e flores.

ENTREGA: Em pedra ao lado de um rio

ERVAS: Catinga de mulata, Cordão de Frade, Gerânio Cor-de-Rosa ou Vermelho, Açúcena, Folhas de Rosa Branca, Erva de Santa Bárbara